Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Boa noite segundona!

Boa noite lindos!!!

Tive uma segunda tranquila, o único "defeito" foi eu ter ficado escrevendo até às 04h30min e acordado às 10 horas da manha. Minha atividade cerebral se eleva na medida em que o dia vai passando...E, quando minha mente está a mil, o mundo adormece...Que pena né?!
Enfim, ao meio dia atendi o meu adorável cliente com descendência asiática! Ele trouxe um óleo e me fez carinhos magníficos! Muito bom ter afinidades com um cliente! Como da outra vez ele me pagou R$ 600,00 reais pela hora. Homem de negócios, quer me inflacionar para sair no lucro em detrimento dos demais. 
No decurso da tarde fiz um brevíssimo atendimento, após mandei e-mails para meus colegas advogados do Mato Grosso, conversei com minha mãe, pedi remédios e umas coisinhas que faltavam na farmácia e num mercado que faz entrega aqui na vila.
Amanha vou a um super mercado maior fazer minhas compras!
Ah, meu doce cliente que re-atendi hoje ao meio dia me trouxe bombons suiços. Lords, são lords né?! Admirável!

Bem, vou tomar um chá gelado e assistir minhas séries!
Beijos! 
Simone S. - WhatsApp: 66 9959 04 40.
Ah, vocês conhecem o gaúcho Nei Lisboa? Curto algumas músicas dele! Deixo um clip para vocês conhecerem, curtirem e relaxarem já que, se estão lendo este post, estão longe dos meus doces beijos e carícias, logo, relaxar é preciso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário