Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sábado, 16 de abril de 2016

SÁBADO PRODUTIVO!!!!! SURPREENDENTEMENTE ÓTIMO!


Boa noite pessoal!!!!!


Bem, fui dormir entre leituras e seriados em torno das 3 horas da madrugada de hoje! A noite me inspira! Eu gosto dela.
Hoje estava me preparando para ir “arrumar” as unhas dos pés que eu estraguei ontem quando um cliente me contatou pelo Whats e me buscou aqui em torno das 16:30!
Ele estava esperando no meu portão cavalheirescamente! Então fomos a um lindo motel! Extremamente carinhoso, beijos incríveis, sexo oral idem! Aproveitamos da cama à banheira e eu aproveitei tanto aquela loucura toda que cheguei à minha casa trêmula! Uma loucura das melhores. Fiquei feliz, pois ele quer uma tarde está semana. Gosto de poder aproveitar horas a fio! Ademais, adoro homens decididos, cultos e com bom gosto.
Conversamos sobre queijos, vinhos, uvas, filmes, concursos público, Lula, Freud, Jung, garotas de programa e estilos, Alan Poe e por aí a fora! Foi demais!
Bem, fará uma semana que comecei, na prática, com este trabalho tão preconceituosamente depreciado. É tão bom conhecer homens interessantes, conversar, ouvir. O sexo é excelente, mas não é só o que me encanta, o que cativa a admiração da Simone e da alma por trás do corpo. Gosto de bons papos, risos, descontração! Não vejo nada de “feio” no que venho fazendo. Pelo contrário, existe algo de romântico e doce nisso!
Pela manha também fui contatada por um lord e conversamos por um bom tempo, tive dicas de locais interessantes, de bebidas à salão de beleza elegante!
A vida é estranha né?! Se eu tivesse chegando à Brasília como uma advogada e professora universitária não teria conversado e conhecido pessoas tão doces e agradáveis como conheci nesta minha primeira semana como escort. Ou, sendo mais elegante: como cortesã, conforme me denominou o meu queridíssimo cliente de hoje à tarde!
Bem, vou passar um batom e ir jantar! Beijo pra vocês!

Um comentário: