Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quarta-feira, 13 de abril de 2016

SOBRE O MEU SEGUNDO CLIENTE- UMA DELICIOSA MANHA DE QUARTA-FEIRA!

 Boa tarde galera! Venho aqui contar-lhes que hoje pela manha tive o segundo felizardo, digo, cliente! Buscou-me em casa e fomos a um hotel que tenho “parceria” para pagamento por hora , ou seja, o cliente paga apenas R$ 100,00.
Ele quis só uma hora, era o tempo livre que tinha, um cara bonito, muitíssimo elegante, cavalheiro, casado e muito, muito ocupado! Ele me ligou eu estava dormindo, pois ontem eu estava de aniversário, sai jantar, cheguei, comi os chocolates que ganhei e tive dor de barriga. Acontece né?!
Ademais, eu também costumo ter uma atividade cerebral intensa à noite, a popular insônia, especialmente aqui, nova casa, cidade, sem os mimos da minha mãe e meus gatos de estimação, Zeus e Pequeno Bolota.
Acordei minutos após a sua ligação e retornei, ele havia me ligado sexta para sairmos segunda, porém não conseguiu. Hoje ele conseguiu uma brecha na sua agenda super cheia para ser feliz um pouco! E fazer-me, igualmente!
Recebi uma dedicação intensa em sexo oral exclusivo do cliente em mim. Chupei-o e senti as veias do pênis dele se irrigarem, deduzi que gozaria rapidamente e ele, obviamente, também, então dedicou alguns minutos para me fazer gozar diversas vezes em sua língua e, depois, em seus dedos. Então, colocamos a camisinha e fomos para o ato!
Delicioso ato, gozei em poucos segundos e minutos após, ao penetrar-me comigo deitada de bruços, ele gozou. Nem chegamos a fazer anal, mas foi imensamente bom! Após, fomos tomar uma ducha e continuamos um interessante papo sobre demissões e a sua “logística”. Cliente inteligente e culto, bem letrado e tarado, excelente nível!
Após sairmos do hotel, ele me deixou numa agencia do banco do Brasil e voltou à sua atarefada rotina. E eu a minha, mediquei-me, escrevi, descansei e estou pronta para outra!
Beijos...

Simone S.- 61 99964081

Nenhum comentário:

Postar um comentário