Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

segunda-feira, 18 de abril de 2016

........UMA SEGUNDA AGITADA!...

Boa noite pessoal!!!

Que segundinha agitada a minha! Dormi tarde e fui acordada às 07:30 da manha por dois cidadãos falando na viva voz desejando atendimento para ambos. Eu e eles. Achei de péssimo tom o viva voz ligado e o aparente desespero e tara incontrolável dos moços que se disseram bancários. A voz dos dois e a animação demasiada para uma segunda cedo da manha me assustou e deixei de lhes dar retorno. Isso sem contar que pechincharam o preço que eu cobraria para lhes atender. O dobro do que cobro para um homem apenas, obviamente!... Mandei se foderem sozinhos mentalmente e voltei a dormir! 
Acordei as 11 horas e conversei com pretensos clientes, minha mãe e tias. Às 14:30 fui contatada por um lindo colega (advogado) e o atendi na minha casa. Sexo oral incrível o que ele me fez! E anal comigo por cima foi o máximo! Gozei de molhar o abdômen dele inteiro! 
Não é sempre que essa posição "fecha"! Depende muito da altura e da circunferência abdominal dos parceiros, do tamanho e largura do pênis do homem e tal, mas, confesso que o encaixe com o cliente 9º foi o máximo! 
Novamente sem perfume, cliente casado rumando para uma viagem fora do Estado. Depois tive um atendimento curtíssimo e voltei para casa. Fui ao mercado e na farmácia antes de vir para casa. Exagerei no lombo de porco defumado e na pimenta do meu tradicional sanduíche, fiquei brevemente indisposta e cancelei uma janta.
Tomei banho, coloquei minha linda camisola cor de rosa, passei meu perfume francês e me deitei para assistir a Criminal Minds, meu seriado favorito, mas recebi uma ligação... O cidadão demorou a chegar, não deu sinal de vida, terminei passando o tempo conversando com um pretenso cliente e fui assistir ao seriado na reprise das 23:50! 
Bem, amanha será um grande dia!!!
Boa noite lindões e lindonas!

Vida que segue! 
Beijos, Simone S. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário