Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 29 de maio de 2016

CRÔNICA SOBRE A CHATICE DO EXCESSO DE VAIDADE FEMININA...

Sobre a chatice do excesso de vaidade feminina.

Fui ao restaurante mineiro do bairro. Peguei um recipiente de saladas, outro de torresmo e fui à churrasqueira, ao meu lado, uma jovem que me pareceu grávida aguardava algo. Perguntei ao churrasqueiro: "Qual a carne macia mais gorda que você tem?", o moço falou, "que legal, uma mulher comendo gordura!", nem respondi ao jovem e a moça me perguntou: "Você está fazendo a dieta cetog...?", "Ceto... O quê?", perguntei. "Cetogênica, baseada em gorduras e sem carboidratos para emagrecer e ficar com músculos!", respondeu.
Fiquei estarrecida! Que mundo estamos não é!? Você não pode comer de forma "diferente" que tem que ser, por outros, "adequado" ao universo das dietas e da paranoia pela magreza e músculos saltados! Pois, lhes digo uma coisa: eu PREFIRO não ter uma barriga negativa ou tanquinho e ter orgasmos à mesa, eu prefiro ler à acordar cedo e erguer peso, eu prefiro manter o tônus muscular me "divertindo", já que a saradice das "malhadas" não me atrai!
As pessoas estão tão iguais! Gostos iguais, papos iguais! Onde há mulheres a conversa é: maromba, cirurgia plástica, tratamento estético, silicone, dieta, mulher do Belo, não sei mais quem! Gente parem que tá feio: vocês estão chatas! Chatíssimas! Sem contar aquelas: "Se eu não me cuidar, meu namorado que malha vai me deixar".
Arre! Se eu lhes contar que a "atitude" e o "cuidado" que os homens gostam vai muito além desta futilidade toda pró-estética de vocês, cês acreditam? Se eu lhe dizer que virar uma obcecada pelo corpo pra manter macho lhe faz uma ridícula insegura, você vai se ofender? Então tá, desculpa!
Nem toda mulher vive de dieta. Nem toda mulher adora conversar sobre academia e alimentação saudável. Nem toda mulher coloca botox na boca ou silicone no corpo. Nem toda mulher faz de tudo pra agradar ao marido. Nem toda mulher quer um marido! Nem toda mulher quer procriar. Nem toda mulher acha bonito músculos a mostra. Nem toda mulher quer ser saradona! Nem toda mulher precisa se mimimi um ombro amigo, mimimi um amor na vida.
Nem toda mulher quer perder 5 kg. Nem toda mulher gosta de novela. Nem toda mulher come quinoa. Nem toda mulher se sacrifica pela estética ou se torna fútil. Nem toda mulher bebe pouco e come menos ainda. Nem toda mulher tem pudor no sexo. Nem toda mulher se limita pela criação machista e pela mídia que coisifica nossos corpos e nos exige adaptação a padrões. Vigorando o da chatice! Mais: nem toda mulher gosta de "papo de mulher"!
Cláudia de Marchi

Brasília/DF, 29 de maio de 2016.

5 comentários:

  1. Adorei!! Falou e disse, e eu concordo contigo em tudo!

    ResponderExcluir
  2. Vi seu link no G1, por curiosidade entrei!!
    Que post!!! É isso aí!! Eu não sou feminista, sou casada, tenho dois filhos, mas sou MULHER e me identifiquei muito com esse post!! Cansada dessa futilidade!! Cansada de abrir as redes sociais e só ver isso!! Parabéns!! Gosto de gente que pensa!! Vai além da caixinha! Deus te abençoe! ������

    ResponderExcluir
  3. Showwwww!!!! E disse tudo mesmo!

    ResponderExcluir
  4. Sou mulher e concordo com você.

    ResponderExcluir
  5. Obrigada gatedo! Precisamos nos amar e respeitar as nossas limitações! Mas, nunca nos escravizarmos à vaidade! Beijos!

    ResponderExcluir