Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quarta-feira, 25 de maio de 2016

DIA EMOCIONANTE E UM NOVO CLIENTE PAULISTA DE 26 ANINHOS!

Boa noite povo lindo!

Acabo chegar de uma deliciosa sessão experimental de drenagem linfática aqui na minha vizinhança! A Vila Planalto, onde moro, não é um bairro requintado, mas é, sem dúvida, muitíssimo bem localizada. É a vila dos calangos, dos edificadores de Brasília.
Excelentes restaurante e um povo afável, doce e atencioso, acho um encanto as pessoas que conheci aqui!
Antes disso fui encontrar um cliente numa belíssima suíte de um motel, uma suíte temática, super chique e enorme. Eu tive vários clientes mais jovens que eu, mas o de hoje era “só” 8 anos mais novo, o mais jovem até agora.
O rapaz trabalha na indústria do pai dele e vem seguidamente à cidade, mas é de uma cidade de SP. Solteiro, bastante galanteador, chegado à noitadas, vida boa, muito bonito, moreno claro, forte, alto, viciado em esportes e, segundo disse, em ler este blog aqui. Agora, segundo disse, viciou-se em mim! ...Risos...Uiiii!
Segundo ele sou a mulher mais linda e quente com quem já ficou, disse-lhe que devo ser a única mulher, já que ele deve sair com jovens moças né!? Gosta de baladas e tal, disse-me, porém que gosta de mulheres mais velhas do que eu (bem mais), pois são mais fogosas e experientes. Gozam mais. Logo, sendo assim levei a sério o elogio.
Ele lambeu meu bumbum de todas as formas, fez um ótimo oral em mim, de bruços, de frente e de quatro. Não gosta de sexo anal, segundo disse (terceiro cliente que não curte ou não “sente” necessidade!). De toda forma, ele é bem, muito, muito bem dotado de tamanho (largura, inclusa)! Divertiu-se ao máximo “afofando” minha bunda. Pediu se eu malhava. Bem, se sexo é exercício, então sim!
Foi muito bom, porque apesar de jovem o rapaz é muito culto. De família milionária ao que vi (pelo carro, inclusive), mas extremamente bem informado, letrado, viajado, educado e modesto. Era para ficarmos duas horas, mas o gerente da empresa da família dele precisava do aval dele num negocio e ligou, logo, voltei pra casa curtir meu dolce far niente, musicas e leituras, para, apenas após ir à minha doce, linda e querida nova massagista!
Até agora, só tenho isso para lhes contar neste dia intenso e emocionante!

Beijos de luz!

2 comentários:

  1. Cara tiro o chapéu pra sua personalidade, pois parto do princípio que devemos fazer o que nos torna felizes, independentemente do que for. Parabéns pela mulher de atitude que você é

    ResponderExcluir