Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Experimentando um "consolo", repeteco com o cliente gato e gostoso e um pretenso cliente otário!

E aí gente!!! Hoje parecia que seria um dia pacato! Marquei unhas, depilação e etc! Atendi um cliente cativo início da tarde! Ele me deu de presente um pênis de silicone! Tentamos fazer anal usando aquilo devidamente "vestido" com uma camisinha. Odiei! Dificultou a penetração anal e parecia uma rolha na minha vagina. Pela primeira vez na vida não gozei fazendo anal! Se DP for insosso naquele jeito não vou curtir. Mas acho que o fato de ele ter só colocado na minha vagina sem ter mexido não ajudou muito. Ficou, realmente como uma rolha! Ele gozou no anal atrapalhadissimo, eu não. Mas já tinha gozado algumas vezes antes de usarmos o "negócio"! Me deixou no shopping onde me depilo e faço unhas. Tive que sair com unha recém feita para vir, tomar banho, me arrumar e ir, de novo, atender ao médico mato-grossense gostoso da suíte presidencial bonita (hoje que eu soube que era "presidencial", uiiii!)! O de ontem. Dessa vez ele me chupou por meia hora! Como o anal foi frustrante com o cliente cativo e nosso "experimento", depois de gozar umas 7 vezes na boca dele, fiz um oral e ele quase gozou! Impedi, coloquei o preservativo e fui em direção a vidraça como fizemos ontem. Me senti super sexy, porque eu estava nua, só com um sapato de salto vermelho alto! Como o bonitão tem 1,95 m e músculos de sobra o salto não atrapalhou! Coloquei o pênis dele direto no meu cú! Em menos de 10 minutos, 5 orgasmos meus após eu disse que ele podia gozar. Duas reboladas minhas com força contra o corpo dele e ele gozou! Mas gozou com um tesão descomunal! Ficou tremendo. Eu também! Me pagou o equivalente a duas horas! Sai de lá, chamei o Ubber, passei no mercado, comprei duas garrafas de vinho (estou estivando), cervejas artesanais de frutas vermelhas (quando eu beber posto foto!), maionese, alcachofras em conserva e queijo. No caminho vim pensando: quando na minha vida de "moça de família", advogada e tal eu teria momentos tão gostosos? Se a felicidade é constituída de momentos, cara! Eu nunca teria tantos momentos prazeirosos assim, nem em sonho! Jamé! Agora eu tenho. Não conheço tédio, não torço pela sexta-feita, sou contente sempre (isso até com um salário ruim e lecionando eu era, contente e alegre sempre fui, tipo hiena, comia carniça e estava rindo à toa!) e feliz com uma intensidade fenomenal! Que vida boa!!! Enfim, cheguei em casa, comi um fast food e, em seguida, um cliente que há muito conversamos me chamou. Eu gozei tanto na boca do cliente hoje e no anal com vidraças escancaradas que estava excitada! Sabe, querendo mais?! Então, resolvi atende-lo! Daí o imbecil não consegue chegar no horário. Disse-lhe que se fosse para me dar bolo mais tarde que desmarcasse, desmarcou. Sujeito sem noção de classe e finesse. Não tenho tolerância pra homem incapaz de fazer um "timing" da própria rotina! Broxante! Desmarcar 5 minutos antes do horário previsto? Só um andróide boçal mesmo. Enfim, devidamente bloqueado agora é hora de tomar uma tacinha de vinho e curtir o dolce far niente! Orgasmos hoje não faltaram! (Escrevo do celular, porque minha internet do note está falhando!). Beijos de luz! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário