Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 29 de maio de 2016

MAIS UM CLIENTE NEGRO, 69 E BOAS GOZADAS DOMINICAIS!

Boa noite galera do bem!!!
Hoje o dia foi tranquilo, acordei às 09 horas e às 10 horas fui para minha primeira sessão de bronzeamento natural com esparadrapo aqui no bairro! Arre, faz falta ter uma casa com piscina como tinha no MT! Mas, quem não tem cão, caça com gato...
Comecei a fazer marquinhas e a tirar a cor desbotada! Eu ia me odiar se eu fosse branca, daquelas que não pegam cor! Meu lado lésbico só acha bonito mulheres (eu, sobretudo) de cor bronzeada! (Além de delicadamente magras...). Enfim, acho a branquice demasiada, uma lástima!
Após, passei no restaurante mineiro que gosto pegar meu almoço, liguei pra mãe, almocei e dormi. Fui acordada com algumas mensagens de homens do MT. De repente, enquanto eu dormia recebi uma ligação.
O cidadão me disse que estaria no seu flat às 18 horas e quis que eu fosse até lá. Escrevi um tutorial para um site (um tutorial que explica para mulheres interessadas neste ramo o que significa o termo “acompanhante de luxo” e o que ele envolve) e, então, fui.
Chegando lá o cliente era negro, alto, muito bonito! Um sorriso formidável e uma imensa simpatia. É funcionário publico, conversamos um monte sobre nossos pontos de vista em comum e, então, nos beijamos! Um beijo estrondoso!
Ele me levantou e fomos para o quarto! Chupou-me com esmero, como se quisesse “vencer a concorrência” (meus demais clientes) e, então pediu para eu ficar sobre ele e iniciamos um 69 que durou uns 25 minutos. O suficiente para eu gozar umas 10 vezes na boca e no rosto dele e ele na minha boca. Obviamente estávamos sem camisinha até então.
Rimos um pouco, contei-lhe duas piadas de humor negro e ele começou a me beijar novamente e a acariciar doce e delicadamente meus seios com suas mãos grandes e másculas. Então, colocou a camisinha e colocou aquele pau grosso e comprido em mim, fiquei de lado e ele acariciava meu bumbum, eu havia gozado apenas duas vezes e ele não resistiu e gozou novamente, desta vez mais rápido.
Conversamos um pouco mais e vim pra casa! Escrevi mais, conversei, atendi a umas ligações, comi torresmo e agora vou voltar ao dolce far niente!
Bom final de domingo gente!

Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário