Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quarta-feira, 1 de junho de 2016

VALORE$.


VALORE$!


Antes de ler os valores abaixo tenha ciência de que eu faço sexo pelo MEU prazer, o dinheiro é um plus, um “adendo”. Logo, se eu não gostar de sua abordagem e/ou aparência e/ou “qualquer outro detalhe” eu vou lhe dispensar e bloquear sem dó!

Anote: a “dispensa” pode ocorrer até pessoalmente caso você seja sexualmente egoísta e/ou não tenhamos “química” no beijo: eu não dou prosseguimento a encontros com quem não me excita.

Se garanta!
Aceite!
Respeite!
E, se não “se garantir”, por favor, não me procure, afinal não faltam “acompanhantes de luxo” no mundo!

• R$ 700,00 POR HORA: Beijos, muitos beijos. Anal à vontade e convencional com camisinha. Oral sem preservativo. 
Para saber mais detalhes torne-se leitor do diário dos meus encontros sexuais!
Não dou abatimento no valor em hipótese alguma! Fica menos tempo e faz sexo incompleto quem quer. Eu não altero o valor, logo, o mínimo sempre será R$ 700,00. 

•R$ 1.000,00 a hora, pagos antecipadamente, para usufruir da minha companhia em cafés, almoços, jantares ou encontros em que não haja sexo ou o mesmo fique em “segundo plano” e o “diálogo” seja a prioridade. 

• R$ 4.000,00 a diária para viagens sendo que estarei disponível exclusivamente para o parceiro “contratante” pelo período ajustado. (Despesas de locomoção e hospedagem ficam a cargo do parceiro).
- Valores passíveis de alteração dependendo do período desejado, da intimidade com o parceiro e do destino da viagem. 

• R$ 4.500,00 o pernoite em hotéis no plano piloto de Brasília/DF. Não durmo com parceiros na minha residência. 

• OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: 

1- Não atendo telefonemas, apenas contatos educados e objetivos no WhatsApp desde que o pretenso parceiro use foto. Só respondo contatos feitos entre 09 h e 22 h, pois não faço “plantão”!

2- Não marco encontros em motéis ou residências de parceiros, apenas em hotéis no plano piloto de Brasília ou onde resido, na Asa Norte. Pernoites, porém, apenas em hotéis.

3- Não marco encontros com homens que não gostem de beijar na boca.

4- Pode gozar na minha boca sempre e sem pedir, todavia, isso não ocorrerá se eu estiver com algum corte ou até com uma mísera afta na mucosa da minha boca (herpes labial nunca tive), pois nestes casos o sêmen pode me expor a doenças sexualmente transmissíveis. Saúde acima de tudo! 

5- Nos encontros longos e viagens quanto mais sexo melhor!

6- Não combino encontros com casais ou com outra mulher. Não vou a casas de swing. Não faço ménage e nem “marco presença” em “baladas” de nenhuma espécie, inclusive despedidas de solteiro. 

7- Não barganhe nunca!

No universo dos encontros sexuais com a Cláudia de Marchi não existe tolerância à perguntas idiotas no WhatsApp ou a machos machistas e misóginos. 
Resignem-se!
Beijos de luz!



Um comentário:

  1. Por mais linda que tu sejas, mais belo e cativante é teu sorriso...

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.