Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Novidades: mamãe, gatos drogados e uma transa inusitada- outra desmarcada!

Bom dia meus lindos!
Vamos às novidades?
Primeiramente, um “salve” a todos os papais e mamães que perdem o sono à noite graças a seus pimpolhos!
Hoje minha noite “foi estupro”! (Se fosse “foda” era boa, né?!).
Mamãe e cats chegaram, titia que os acompanha temporariamente, igualmente e todos bem, a exceção do Pequeno Bolota que estava realmente chapado. Mas, logo se recuperou. Quando foi 04h30min da manha de hoje, então, ele estava ótimo!
Ótimo o suficiente para miar de saudade da casa em que morávamos no MT! Morávamos numa casa de mais de 200 metros quadrados com um pátio interno com grama, piscina e tal. Seguidamente ele nos acordava para abrir a porta de acesso ao pátio bem cedinho para ele ir comer grama.
Agora imaginem este mesmo gato em menos de 35 metros quadrados! Se eu que sou racional sofro, “calculem” ele!
Zeus? Zeus um himalaio lord que sobreviveu ao meu casamento, a brigas, à idas e vindas dentro de um carro de um lado para o outro. Sobreviveu até ao colírio que meu ex-marido inventou de colocar em seus olhinhos azuis certa vez (bem intencionado, afinal era para “realçar o azul” dos olhos do bichano), logo, creio que Zeus se adapte até ao mais inóspito dos ambientes. E pessoas.
E eu, sobre ontem?
Vocês sabem que eu atendo excepcionalmente a três clientes num dia só, certo?! A regra é “no máximo” dois, quando muito, porque priorizo a qualidade do sexo e não a minha arrecadação financeira.
Um parêntese, sobre isso: as noticias falam que eu ganho R$ 500,00 a hora e eu tenho a impressão de que parece, aos analfabetos funcionais e oligofrênicos, que eu passo o dia fazendo sexo, que vou ficar milionária e etc.. Menos gente, bem menos!
Além de seletiva com a qualidade da clientela, além de usar muitíssimo meu 6º sentido, eu gosto mesmo de sexo intenso, então... Não é alugando meu corpinho, meu talento oral, anal e etc., o dia inteiro que “isso” seria possível!
Se “namoradinha de aluguel” não fosse um termo tão démodé eu o usaria, mas, pulemos esta parte e vamos às curiosidades da minha quarta-feira. E elas vão além da chegada de meus dois gatos em estado de drogadição elevado, graças ao avião e a minha tia que os “chapou”.
Em torno de 15 horas ontem, me liga um cidadão e me pergunta o valor da hora e se eu “faria o nº 2 pra ele”. Eu estava no micro apartamento alugado para minha mãe aqui no condomínio. Eu, inocente que só, confundi os movimentos vetoriais de entrada e saída e achei que se tratava do bom, velho, sujo e devasso sexo anal, que faço com muito prazer e sem lubrificante sempre!
Até que ele foi mais especifico e perguntou se eu defecaria na frente dele. Na hora: “Não”. Ele indagou do “por que” e eu respondi um direto “porque não!”. Iludido o rapaz! Eu mal defeco frente a minha pessoa mesma e as paredes do meu próprio banheiro, jamais conseguiria fazê-lo na frente alheia.
Até foi bom não responder isso, né?! Ele poderia me “apertar” sugerindo que eu ingerisse laxante, chá de sene, algo assim. Daí seria tenso chamar um desejo tão “comum” e “saudável” de bizarro! Risos...
Não sou dada a nada muito bizarro meu povo! Gosto de foder mesmo, mas “aquilo”: chupar, vaginal, anal, porra na boca e por tudo tá valendo! Defecar na frente de outros é algo que deve fazer uns 30 anos que não faço. Sujeiras eventuais sim, né?! Sexo anal está aí de “testemunha” e às vezes sujeirinhas acontecem, mas pra isso existe a boa e velha camisinha e o nosso velho conhecido: o banho!
Na sequencia do dia, um cliente simpático, jovem e educado me contatou. Resolvi atendê-lo. Pessoalmente mais bonito do que na foto, muitíssimo bem trajado, topou ser atendido num micro apartamento com dois gatos drogados junto!
Tirei o Pequeno Bolota da cama, enquanto ele fazia um sexo oral perfeito em mim, o gato sorrateiramente voltou ao travesseiro onde estava. E dormiu. Gozei umas 10 vezes na boca do belíssimo jovem homem, depois eu o chupei! Ele era “grosso” no melhor sentido do termo e disse que nunca nenhuma mulher engoliu o pau dele como eu. Senti-me lisonjeada.
Tadinho, quando fomos para a penetração o fizemos comigo de quatro e um gato de testemunha. Aí ele ficou maravilhado com minha bunda e disse que eu “a exploro pouco” nos meus ensaios. Também né, gente!? Como dizem lá no sul, é preciso “esconder a graxa embaixo do casco” às vezes!
Bem, cliente atendido, mais tarde minha 3G se foi, fiquei incomunicável até a meia noite. Neste interim pedi janta para nós, comemos, bebemos, depois assisti a Criminal Minds e dormi. Despertei com a 3G de volta à ativa, em torno de 01 hora da madrugada. Motivo pelo qual, em torno de cinco da madruga, tendo em vista os lamentos “miatórios” do Pequeno Bolota, tive que desmarcar meu já querido e conhecido cliente que seria atendido hoje às 07h30min da manha.
Eu estava sem condições! Continuo sem, mas vou sair com meu “povo” ao shopping Boulevard. Faço as unhas e elas, compras, depois banco e, vida que segue! Vou providenciar na compra de um anti-histamínico para tomar à noite e contar com seu efeito colateral (sono), vez que prevejo madrugadas agitadas até meu filho gato mais jovem e rebelde se acostumar com o pequeno espaço que ele terá até julho!
Beijos de luz!

Um comentário: