Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Segundona do T de Tesão e Tensão, um novo cliente devasso e meu domínio na rede, ACESSEM só com: www.simonesteffani.com.br

...Pessoal lindo, estou lhes devendo as devidas satisfações “gozásticas” de hoje e até de ontem já escrevi exausta e brevemente pelo celular! O meu dia foi tão assoberbado que tive que dispensar dois clientes por conta da correria em prol da busca por uma nova residência!  Esta ansiedade e pressão em buscar um imóvel para alugar vem me extenuando pra caramba!
Acho que encontrei, agora é esperar pra ver se a modalidade de seguro fiança irá proceder.
Atendi hoje à tarde a um advogado, charmoso, fofinho, gostoso e muito gostoso e sacana. Pediu para que eu lhe esperasse sem calcinha e prontamente o atendi. Vestido, salto e sem calcinha. Colocou-me no sofá, ergueu meu vestido, me chupou e em menos de 2 segundos quase gozei. Para me torturar, ele parou.
Tentei chupá-lo, mas ele preferiu tomar uma ducha antes. Saiu do chuveiro com o pau tão duro como quanto entrou. Fizemos um 69, gozei na língua dele diversas vezes e enquanto colocava todo o pau dele na minha boca. Após, colocou a camisinha, me vez ter belos orgasmos “uterinos” (no fundo da vagina), fiquei sobre ele e gozei a ponto de molhá-lo!
Colocou-me de costas e cavalgava com o pau no meu cu, depois comeu meu rabinho de quatro.
Então, tirou a camisinha, limpou-se e enfiava o pau na minha boca como se fosse uma buceta, até que eu parava e segurava ele todinho lá dentro, na minha garganta gulosa. A seguir jorrou sua porra quente na minha boca, foi tomar um banho e partiu.
Nos demos bem e ele me despertou ideias curiosas, agora é realizar pra crer!
Ah, agora eu tenho um domínio na internet, não precisam digitar todo o nome do blog para me encontrarem basta clicar http://www.simonesteffani.com.br/
Uiiii! Que luxo

Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário