Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Sexta-feira do cliente exclusivo, um belo anel de presente, busca por imóveis e cancelamento de conta no face! (Haja recalque no mundo!).

Boa noite galera!!!

O dia hoje foi dedicado à procura de um imóvel para locação. Vários fatores devem ser levados em consideração: não gosto de locais pequenos, prédios com banheiros velhos, casadas com fachada desagradável. Não quero nada longe do centro do plano piloto, quero um apartamento fino, porém não num prédio com vigilância demasiado ostensiva em função da discrição de meus clientes.
E, obviamente, não estou interessada em pagar mais de R$ 4.500,00 de aluguel! Ai, realmente eu sou mimada! Nunca antes na minha vida fui responsável por esta função, menos ainda sobre pressão. Odeio agir “under pressure”. Ademais, minha agenda está super concorrida e eu primo pela responsabilidade no meu trabalho.
Mal descansei, ontem dormi tarde, acordei cedo, procurei imóveis à tarde atendi meu cliente exclusivo de quase todas as sextas que me paga o dobro e mais um pouco do tempo para que eu não atenda mais nenhum homem no dia em que ficamos juntos.
Ganhei um belo anel de prata com zircônias que ele me deu para se redimir de uma “quase” viagem que planejamos e que, por motivos profissionais dele, não deu certo. Ele é realmente um gentleman! O tempo que passamos juntos, entre beijos, óleo na pele, toques suaves, toques íntimos, massagem intima, sexo oral, anal, e muitos orgasmos, voa!
Por falar em cavalheiro, estou com o cache de uma viagem para Pirenópolis/GO dia 20 e 21 de junho pagas. O cliente é um charme, brasileiro, mas residente há anos nos EUA! Conversar com ele é muito bom. Ele é tão responsável, educado e querido que reservou uma pousada e mandou o dinheiro até para o casal de amigos que irão me levar até lá!
Infelizmente a net da minha televisão deu problema, prevejo uma noite de leituras, descanso e, espero, sono cedo, vez que tenho um cliente novo amanha às 09 horas da manha e, após, visitar um apartamento, massagem e sol, porque preciso manter a cor dourada e tirar as manchinhas da pele rebelde que descascou.
P.S.: Algum cidadão ou cidadã com sérios problemas de desocupação e celeumas de ordem sócio-psíquica-afetiva denunciou a minha página no face. Mas, já fiz outra.

Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário