Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

terça-feira, 28 de junho de 2016

Terça-feira: cliente novo, elogios e sexo bom!

Boa tarde!
Pela manha recebi a ligação do meu segundo e inesquecível cliente! Ele é extremamente assoberbado e hoje teria um tempo às 13h30min. Arrumei o apartamento e ele me ligou quase uma hora antes para dizer que não poderia vir. Uma lastima!
Em seguida, enquanto eu lia jornais on-line, me ligou um estranho que eu havia respondido no whatsapp há alguns dias. Queria saber se eu estaria livre no inicio da tarde, respondi-lhe que sim.
Trinta minutos após o cliente chegou. Moreno, menos de 1,80 m, corpo atlético, barba, olhos castanhos esverdeados e muita atitude. Muita, mas muita atitude mesmo! Ele chegou e já foi me beijando insana e desejosamente! Começou a me masturbar na sala mesmo, para o “apavoramento” de Zeus e Pequeno Bolota que estavam deitados no sofá e foram bruscamente pegos de surpresa com aquela “coisa” que parece um misto de agressão com carinho.
Sexo selvagem, enfim! Levei-o ao quarto, pois os preservativos ficam lá. (Agora ofereço uma variedade, daquelas que não me provocam mal estar. Pode qualquer uma, desde que seja as “ditas cujas”). Antes de ajuda-lo a colocar a camisinha fiz sexo oral nele.
Não foi o primeiro que disse que nunca teve o pênis engolido “daquela forma”. Estava ele devidamente depilado, cheiroso e excitadíssimo! Requisitos básicos para aquele oral intenso! E, realmente, gosto de desafiar os limites da minha garganta e estomago!
Enquanto eu lhe chupava ele sentiu que ia gozar, mas disse que queria “comer” minha buceta antes. Virou-me e, comigo de quatro, me chupou, nisso parou, colocou a camisinha e deitou-se sobre mim. Achei cavalheiresco não começar a penetração comigo de quatro, até porque ele é bem dotado! Quis me fazer gozar de forma mais “suave” antes! Curti.
Gozei novamente com ele dentro de mim e de costas, fiquei por cima e como estava totalmente “gozada”, nesta posição coloquei o pênis dele no meu cuzinho! Eu estava precisando de orgasmos assim, vez que desde sexta não tinha! Estranho, quando estou estressada minha libido aumenta. Lembro-me que certa vez meu ex-marido me “pegou” masturbando-me no flagra após uma discussão! Eu tenho “dessas”: estresse me dá tesão!
E estou com mil compromissos para cumprir, mamãe voltou ao RS, enfim, estou um tanto estressada!
E, assim, eu gozei, lavei-o gozando e ele terminou gozando ali mesmo! Após, disse-me que nunca fez sexo anal em tal posição (com a mulher por cima) e que há anos não tinha um orgasmo tão intenso. Não que eu acredite plenamente, mas me envaideci naquele momento! Até, porque, pareceu bem verossímil pelo “tanto” que o moço tremeu. Depois conversamos um pouco. Ele é ex-“colega”, só que do ramo do direito publico.
Bem, ele me pagou por uma hora e meia, mas não ficou todo este tempo (infelizmente). Às vezes a química é muito, muito intensa! Este foi um caso!
Bem, vou me arrumar que tenho que ir à massagista e ao mercado!

Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário