Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

segunda-feira, 6 de junho de 2016

TUTORIAL SOBRE O QUE SIGNIFICA SER ACOMPANHANTE DE LUXO (PARA AS MENINAS)- Leitura enquanto viajo para Porto Alegre!

Boa noite gente linda!

Hoje o dia foi de compras, banco e unhas! Minhas roupas de inverno e botas ficaram no MT, como amanha cedo estou indo à Porto Alegre tive que fazer algumas comprinhas! Logo cedo fui ao Park Shopping.

Um cliente que estava marcado para 21:30, mas precisou adiar uma hora, todavia eu preciso do meu sono da beleza para acordar de madrugada linda e ir ao aeroporto com energia de sobra para curtir o meu lindo, loiro e querido cliente lá no gélido RS!

Quarta-feira retorno e quinta-feira passarei o dia em Campinas/SP com um novo cliente. Como ficarei afastada e sem poder dar-lhes relatos quase instantâneos deixo aqui, para as mulheres um tutorial do que significa ser uma acompanhante de luxo. 

Li nuns comentários escrotos de cadastrados no GP Guia, que já foram excluídos pela competente moderação do site e que, sequer fizeram o "test drive" comigo, criticando o meu valor e afirmando que eu e meus CLIENTES DE BOM GOSTO E BOAS CONDIÇÕES FINANCEIRAS estaríamos inflacionando o "mercado de bucetas" na cidade (reparem no teor da misoginia e do machismo dos aborígines que escreveram isso).  São ratos, digo, são homenzinhos, que das mulheres só desejam a b******, todavia, não é pra mulheres que pretendem uma clientela desclassificada como está que eu fiz este tutorial, ok!?

Se vocês pensam como os referidos androides boçais supra referidos não percam tempo lendo abaixo!


Bem, os mentecaptos criticados acima usam de um mote machista meninas, para fazer-lhes baratear o seu preço para que eles consigam pagar! Simples! 

Enfim meninas, vamos crescer nesse negócio que É A NOSSA profissão gurias? Vamos sair do senso comum preconceituoso, machista e baixo nível que, pelo visto, se satisfaz com qualquer menor de idade que se prostitui em beira de estrada para poder se alimentar, afinal elas tem uma buceta e está a venda, certo? Vamos elevar o nosso nível e selecionar nossos clientes?

Abaixo, o tutorial, espero lhes ser útil! (E é por essas e por outras que os tarados, punheteiros, senhores infiéis e desrespeitosos e, obviamente, os desabastados de plantão detestam a Simone. Desdenham, afinal não podem comprar ou sequer cativar a afeição genuína!

Tutorial sobre o que significa ser acompanhante de luxo (PARTE 1) by CLÁUDIA DE MARCHI.

Meninas, em que pese este tutorial escrito seja direcionado a vocês profissionais ou que pretendem se tornar uma, eventualmente falarei dos clientes e seus "perfis". Bem, vamos lá, sem dó, sem piedade e sem mimimi!

1- Por que você se intitula “acompanhante de luxo”? Por que você é bonita? Por que é magrinha, definida, tudo no “lugar”? Por que você é sarada e tá na “moda” ser “bombada”? Bem, a beleza é interessante, porém não torna ninguém especial. Me responda às seguintes perguntas:

a) Você sabe diferenciar um vinho merlot de um carmenere, cabernet ou malbec?

b) Quantos livros você leu no último ano? Que não sejam esses do Nicholas Sparks, autoajuda ou romance espirita? Ah, e nem sobre dieta! Quantos?

c) Quais os filmes que você costuma assistir? Você sabe quem é Almodóvar? Martin Scorsese e Quentin Tarantino? Sabe quais as diferenças básicas entre eles e suas “obras”? 

d) Você entende sobre queijos? Ou só conhece a mussarela e o “prato”?

e) Qual foi a última vez que você leu sobre história do Brasil? História da humanidade, evolução das mulheres, revoluções e afins?

f) Quando você leu uma obra relativamente séria sobre relações interpessoais humanas? (Autoajuda não, pulem!). 

Responderam?

Conseguiram responder sem pensar “ai que chato isso”, “ai isso não tem utilidade alguma”, “ai eu sei falar inglês, isso vale!”. 

Não, não vale. E sim, isso pode parecer chato, mas você não será jamais uma acompanhante de luxo se, após o sexo ou ao longo de uma noite você não tiver assunto de qualidade para “oferecer” ao seu cliente.
Sim, isso faz parte do “pacote”, sabem por quê?
Porque é o que distinguirá vocês de outra jovem que resolva sair dos bancos acadêmicos para as camas alheias e resolver ganhar dinheiro em troca de sexo!

Cultura meninas é o diferencial!

“Ah, mas eu faço Administração”, “Eu faço Direito, estou me formando”, “eu estou na metade do curso de Odonto!”. Posso dizer algo, bem sinceramente? Eu fui advogada por 11 anos, passei no meu primeiro exame da OAB (nada além do que a obrigação de qualquer bacharel), sou pós-graduada e lecionei para mais de 1000 alunos cerca de 10 disciplinas: fazer uma faculdade não é nada além da obrigação de vocês num País em que o acesso ao ensino superior foi facilitado nos últimos anos. Queridas, vocês e eu, inclusive, não estamos em 1990 quando fazer faculdade era típico da “elite”! O País mudou, não se “achem” boas ou especiais, porque estudam! 

Aliás, cursar uma faculdade não significa ser culto. A cultura é toda espécie de conhecimento que amealhamos e que vai além do, simplesmente, “técnico” que é o que as academias universitárias ensinam. 

Cultura é conhecer cinema, boa música, bons filmes, bons autores, bons diretores, bons interpretes, bons artistas! Cultura não é o que a Rede Globo passa, cultura não é saber o superficial “ah, eu assisti Capitão América”. Cultura não é saber quantas séries de agachamento você deve fazer pra endurecer os glúteos ou qual a melhor dieta para o seu metabolismo. 

Lamento querida, isso não é cultura e o seu “luxo” está deixando a desejar se você pensa que é, isso para não dizer que ele é inexistente.

“Eu sou bilíngue!”. Ótimo, essencial. Mas, você acha que vai atender quantos clientes internacionais por semana? Ou seja: saber falar outro idioma é um mero detalhe, o seu foco deve ser fidelizar clientes e, para tanto, terá que lhes encantar, não apenas pela bunda ou pelo peito grande. 
É a realidade baby!

“Se ele não é fiel à esposa, não será a mim!”. Querida, o que faz um homem ser infiel ao casamento são razões diversas e extremamente diferentes das que lhe fará “gamar” em você

Clientes de luxo, intelectual e financeiro, são seletivos, logo, se você for boa de cama, de papo, elegante poderá conquistar um cliente assíduo e divertir-se muito! 

Respeite-o, porém! Pedir dinheiro e querer bancar a namorada é de péssimo nível. Receba o valor da sua hora pelo tempo que ficarem juntos. Somente isso. Presentes são da alçada voluntaria dele, não sua! Abuso é coisa de mulher desclassificada e tola.

Nunca confunda fidelização de cliente com namoro e nunca, jamais, transe de graça só, porque você “gosta” do cliente. Este é o maior erro e muito, mas muito baixo nível! Quer se apaixonar, casar e ter filhos? Mude de profissão, não romantize o seu trabalho. Seja séria e profissional. 

“Ah, mas o meu marido me incentiva a transar por dinheiro”, fofa, senta aqui, vamos conversar: seu marido é um tarado, abusivo e mal intencionado que quer lhe explorar. Se ele fosse rico o bastante para lhe dar uma vida boa, jamais aceitaria isso. 

E você está casada com um traste deste, por quê!? Valorize-se querida, ou nem entre neste universo de acompanhantes de luxo. Ou entre, no das de baixo nível, que acham que tem classe. 

2- Sobre sexo de qualidade e sutileza.

E então, queridinhas, firmes para seguir a leitura!? E, mais uma pergunta: você trabalha como acompanhante por que gosta de sexo ou do dinheiro?

Resposta correta, desde que sincera: “DE AMBOS”.

A mulher que faz só porque gosta do sexo fica longe de uma acompanhante de luxo: sai com qualquer um e não sabe cobrar. Torna-se vulgar.

A que gosta só do dinheiro se torna entediante, fria e chata.

Você cronometra seus encontros no relógio!? Ruim, péssimo. 

Você cobra que o cliente goze para “acabar” logo o encontro? Péssimo, também.

Nesta vida, você terá clientes ruins de cama e outros ótimos, aprenda a fazer uma “compensação psicológica” com serenidade: os bons fazem valer a pena os ruins e o dinheiro dos ruins faz valer a pena a sua “ruindade”! Simples, muito simples.

Atenda seu cliente com entrega, tome um bom e relaxante banho antes de atendê-lo e durante o banho comece a preparar-se psicologicamente para o que virá, comece a se excitar e a imaginar o que de bom ocorrerá.

Seja atenciosa, simpática e gentil e, após, despeça-se e receba sem “pressioná-lo” a pagá-la. Desde o momento do encontro, tente dispersá-lo da ideia de que ele está pagando. Isso relaxa o homem e faz ele se sentir à vontade e, consequentemente, lhe achar uma profissional “diferenciada”.

“Ah, mas e se ele não me pagar”. Chore e esbraveje sozinha, à ele diga apenas para nunca mais procura-la, porém nunca cobre antes. Ou cobre, mas saiba que tal ato coloca o “luxo” em ultimo lugar: é papel de putinha barata e desesperada. 

Sexo bom é feito com vontade: chupar com prazer, deixar meter com prazer. Xilocaína? Gel lubrificante? Coisas de quem não gosta mesmo de uma boa transa, lamento. A mulher que gosta mesmo aceita beijo na boca, toques, tem carinho pelo cliente e se não tem tesão por ele, tem por ela mesma e demonstra isso à ele. 

Como essa esfera é muito intima e com o intuito de não ofender ninguém, terminarei por aqui, mas saliento que lhes digo o que digo com base em quem cobra caro e atende clientes cavalheiríssimos: 9 em 10 deles fazem sexo oral em mim e me masturbam. Digo o que digo, porque bloqueio na hora pretenso cliente punheteiro que me pede fotos (elas estão na internet!). 

Lutem para aumentarem o “nível” cultural e intelectual de vocês sempre, mas tenham em mente o seguinte: existem caras abonados e que não tem classe. Não são “de luxo”, são machistas, misóginos e não sabem tratar uma mulher, normalmente estes são os chatos do “mimimi foto”, “mimimi quero ver a tua b****”. Clientes realmente de classe não pedem isso e sequer requerem fotos de extrema exposição de vocês na internet. 

Fotos ginecológicas são extremamente mal vistas e incitam ao desrespeito. Sinto informa-las. E isso dá aos misóginos o direito de achar que podem “arromba-las” sem sequer seduzi-las com afetuosidade antes do encontro. Abram o olho meninas e mudem de atitude antes de sofrerem, ok!?

3- Não transpareça nas roupas e nos atos o que você faz na cama.

Ninguém precisa saber que você gosta de sexo. Que você faz sexo por dinheiro. Se você quer ser uma acompanhante de luxo, fuja de vestes vulgares e de estereótipos.

“Ah, mas a bailarina tal se veste desta forma e faz sucesso, cobra bastante!”, querida, ela é bailarina, não acompanhante de luxo. A fama dela vem de outra fonte “primária” e ela é vulgar, motivo pelo qual usa roupas vulgares! A verdade é essa. Você acha que esta criatura tem cultura? Ah não né!? Me poupem!

Compreenda: o luxo não está no corpo, nos músculos, na capa da revista de quinta, está na classe, na altivez, na cultura, no papo, na forma de andar, de bem tratar, no que sai da sua boca, na sua competência como acompanhante. E não apenas na transa.

Eu, pessoalmente e em primeiro lugar, porque acho o look marombado excessivamente feio e artificial, fujo dele. Por quê? Qualquer roupa menos discreta que você coloque chamará excessiva atenção. Este é o meu gosto, o meu “lado lésbico” acha bonito o corpo da atriz Flávia Alessandra, por exemplo: magra, firme e definida. O resto pra mim é tenebroso.

Se você gosta, porém, tente usar saias longas, vestidos longos, calças “flare”, enfim, roupas mais discretas. 

Muitas moças tem o “puta” escrito na cara, roupas, cabelos, tudo muito exagerado. Não façam isso: “puta” é algo que deve se cercear às quatro paredes, fora delas você deve pecar apenas pela discrição, pela elegância!

Quer ser uma acompanhante de luxo e não acha que tenha bom gosto? Consulte uma estilista, leia sobre moda em revistas de alto padrão e, por favor, fuja do senso comum das redes de televisão. Ou, fuja de querer ser acompanhante de luxo, porque vulgaridade e este ofício, desempenhando com competência e com um bom “futuro” não combinam. 

Gente, seguinte, eu me direciono às meninas que querem crescer na profissão e que não veem isso como mero “passatempo”, ok!? Faço presumindo profissionalismo! 

Este foi o início meninas!
Nos próximos tutoriais falarei de forma mais humorada com vocês e darei dicas interessantes.
Farei a distinção entre acompanhante e cortesã de luxo de putas e por aí a fora!
Leiam o blog, se divirtam e aprendam um pouco mais também!
Beijos de luz!
Cláudia de Marchi/Simone Steffani




7 comentários:

  1. Por isso não me canso de dizer que a sedução da mulher não estar nas curvas de um corpo exposto. Boa semana..

    ResponderExcluir
  2. Realmente, uma conversa inteligente, um olhar cativante e saber como tratar é muito mais excitante do que um corpo que está na moda...
    Como se diz no sul: "É quando se separa as prendas das pinguanchas..."
    Ótima semana...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo! Tudo! Ainda bem que meus clientes tem um perfil similar ao seu! Do contrário, eu não trabalharia como cortesã. Sexo intenso tem sim a ver com um jogo de sedução, devassidão, humor e conversa interessante. Sexo bom pode ser uma terapia! E tem muita psicanalista cobrando 500,00 a consulta para ouvir, silenciar e não fazer gemer sem sentir dor! Kkkk! Meus clientes sabem do que falo! Beijo!🌹

      Excluir
    2. Parabéns pelo seu trabalho, você e uma mulher incrível.

      Excluir
  3. Cláudia, vi teu blog por conta do EGO e fiquei curiosa... Li um pouco e vi uma coisa preocupante... Não me entenda mal, sou médica, só estou falando para a tua segurança... Esperma transmite mais doenças além da AIDS, sexo desprotegido do tipo oral ou anal vai te deixar vulnerável à sífilis ( anda uma epidemia novamente), clamídia, gonorréia, HPV e uma infinidade de outras coisinhas desagradáveis e potencialmente perigosas. Já que você, como eu, se propõe a ensinar o ofício de cortesã, acho, sem falsos moralismos ou julgamentos, que você deveria reconsiderar a permissão de ejacularem em qualquer mucosa sua... Na pele íntegra tá valendo... Ah, a simples fricção em mucosa já transmite doença... Qualquer cliente bem informado, e com um mínimo de conhecimento sobre saúde irá pensar nisso na hora que lhe for permitido ejacular na tua boca. Bjo, cuide-se.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida obrigada pela preocupação. Não faço anal sem camisinha, tampouco vaginal. Permito que clientes saudáveis gozem na minha boca, posto que não tenho nenhuma ferida, tampouco herpes ou infecção na garganta. Como médica deves saber que o risco seria grande se tivesse alguma ferida na mucosa da minha boca. Sei me cuidar, mas se lhe fizer bem pode começar a fazer tutorial de sexo seguro aqui, garanto que para os desavisados será util. Para uma mulher que faz exames e consultas ginecológicas a cada 4 meses, lê e conversa com especialistas, no caso, eu, não! Beijinho!

      Excluir
  4. Simone,

    Desde que li sua materia no G1 passo no blog para ler suas publicacoes. Você escreve muito bem e sem vulgaridades.

    Parabéns pela coragem em se expor num país tao machista e preconceituoso.

    Abracs

    Andreia - Manaus/AM

    Ps. Aguardo você lançar um livro com suas historias.

    ResponderExcluir