Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Do novo cliente sulista da segunda-feira ao "repeteco" com o cavalheiro "da madrugada de segunda-feira" nesta madrugada de terça: ORGASMOS MÚLTIPLOS deliciosos!

Boa noite pessoas lindas!

Hoje o dia foi dedicado a visitas bancárias, incluindo o saque da penúltima parcela “milionária” do meu seguro-desemprego (R$ 1.543,00) e transferências bancárias. Estou amealhando meus rendimentos para pagar a caução da casa que eu alugar.
Está difícil de encontrar um imóvel bom, discreto e bem localizado aqui no plano piloto! Daqui da Vila Planalto desisti hoje pela manha: minha mãe odiou a “desarmonia” do local, dentre outros detalhes. Tenho criticas a eventual deselegância do bairro, mas, logisticamente falando, para meus clientes, ele é excelente! Ademais, como não quero um apartamento grande no Sudoeste para evitar a exposição da minha pessoa num edifício residencial, bem como de meus clientes, a busca fica ainda mais prejudicada. Aumentam-se as exigências, diminuem-se as possibilidades! (Estou falando de imóveis em Brasília, mas poderia estar falando de seres humanos e relacionamentos... Risos... Está afirmativa se adequá a eles: quanto mais seletivos nos tornamos, menos “agradados” somos!).
Amanha iremos ver uma casa num condomínio próximo ao aeroporto. A casa é belíssima, mas o preço demasiado “bom” me faz desconfiar. Verei amanha se o fluxo aéreo não causa barulhos insuportáveis. Dar-lhes-ei noticias! (Viva à mesóclise!...Risos).
Gosto de vestidos longos, ontem comprei dois! Só que precisei arrumar a barra deles, então hoje fui à costureira indicada pela loja, no Conjunto Nacional, para isso. Comprei uns conjuntos de lingerie e camisolas novas, inclusive! Ficamos passeando por lá até buscar os vestidos, almoçamos no shopping, inclusive.
Um cidadão que queria marcar comigo não encontrou o tempo que desejava ao longo do dia. Todavia, no inicio da tarde eu já havia agendado um encontro à noite com um cliente sulista que está na cidade a trabalho.
Eis que, no horário marcado cheguei ao elegante hotel em que ele está hospedado. No hall de entrada estava ele e mais alguns amigos. Cumprimentei-os, um tanto sem graça, pois caminhando percebi que a costureira deixou o meu vestido ainda comprido, ou seja, tive medo de tropeçar enquanto andava em direção a eles.
O cliente era um homem de quase 40 anos, muito charmoso, alto, forte, belo sorriso e nariz perfeito, mas parecia tímido. Descemos ao bar, pedi uma taça de vinho e ele terminou sua cerveja. Fomos ao quarto, conversando um pouco e lá ele me beijou.
Bela pegada! Esquecemo-nos das bebidas e fomos ao quarto. Ele me chupou por muito tempo! Gozei várias vezes na boca dele. Depois eu quis chupá-lo, a seguir fizemos um 69. Lá foram vários orgasmos!
A transa foi milimetricamente aproveitada! Depois ele colocou a camisinha e eu fiquei sobre ele. Gozei muito com penetrações mais profundas, depois ele veio sobre mim, ergueu minhas pernas e, praticamente, metia em mim de cócoras.
Foi a primeira vez na vida que experimentei tal posição. Como ele está em forma, foi uma gozada seguida da outra e ele metendo em mim com tudo!
Quando virei de quatro para ele comer meu cuzinho a camisinha fez deslizar e ele não “engatou” na traseira... Risos... Voltou a comer minha buceta, metendo rapidamente e terminou gozando. Transamos por bem mais de uma hora!
Depois seguimos conversando sobre relacionamentos, infidelidade, hipocrisia, futilidade, casamento, mulheres, excesso de higiene e candidíase! Sim gente, homem inteligente conhece mulher não só no prazer. Risos...
Voltei pra casa, comi um pouco de queijo, li umas páginas de um dos livros que estou lendo (mais de um para fomentar o cérebro e a memória!), adormeci e, quando acordo, vejo que o cliente que atendi ontem, tarde da noite, havia me mandado uma mensagem!
Sendo ele o gentleman que é e além da química ter sido boa, respondi! Em breve ele retorna ao seu Estado e estava com vontade de “me-ter” (trocadilho...) novamente! Excitei-me na hora ao lembrar-me da transa de ontem, tomei banho, me vesti e fui.
Chegando ao quarto, estava ele animado me esperando! Levei um óleo para ele me fazer a massagem que ontem não conseguiu fazer! Ai, ai! Este homem me fez compreender que não é só de penetração que se faz uma hora de bom sexo! Uma hora gente, não 20 minutos!
E o pau dele, desde o primeiro beijo até gozar, não amoleceu em momento algum! Ele se entrega realmente ao meu prazer. Eu estava quase gozando sem ter tirado a calcinha enquanto nos beijávamos. Nem o vestido eu havia tirado.
Arredei a calcinha, pois eu sentia um calor intimo enorme! Ele desceu com a língua e, num piscar de olhos, gozei na boca dele! Uma, duas, três, quatro vezes seguidas! Então ele me massageou com o óleo, dos pés ao pescoço, tocando-me cada parte do meu corpo. Saboreando-o com o tato e com os olhos!
De bruços primeiro, após, de frente, momento no qual ele sentou-se na minha frente, abriu minhas pernas, me masturbava e me massageava enquanto visualizava meu corpo inteiro e eu gozando em sua mão.
Chamei-o, ele me beijou e, então, ao meu lado, localizou meu ponto G! Aquele que, de regra, me faz esguichar enquanto gozo! E, assim, gozei mais intensas vezes.
Então eu quis chupar aquele pau gostoso! Chupei, engoli tudo, chupei o saco, o cuzinho, voltei a engoli-lo inteiro e, ao ver que eu estava adorando aquilo me pediu se eu queria engolir a porra dele. Disse que sim e pedi que ficasse em cima de mim, sobre meu abdômen para gozar na minha boca e ter a visão privilegiada (de cima para baixo) de eu saboreá-lo até a ultima gota.
E, assim foi! Caímos os dois extasiados e cansados! Tomei um banho, nos despedimos e vim pra casa! Estou escrevendo enquanto o Zeus dorme ao meu lado. O Pequeno Bolota está na cama de solteiro com minha mãe!
Espero que realmente gostemos da casa no Park Way que iremos visitar! Está muito inconveniente ficarmos neste cubículo pagando para nossas coisas ficarem armazenadas no MT. E, confesso, sendo minha mãe fumante, estou com problemas alérgicos! Mas, não contem pra ela... Risos!
Vou dormir, pois a terça-feira promete! Digo, HOJE promete! Mas, esta madrugada findou com chave de ouro!

Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário