Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

terça-feira, 19 de julho de 2016

Mulher gostosa é a que FODE gostoso!



"Aiii meu Deus se eu não ficar com as coxas do Roberto Carlos (jogador de futebol), com a bunda no cérebro, digo, "na nunca" como a 'musa fitness tal', se eu não me lipoaspirar inteira e colocar silicone, o meu macho me deixa! Os 'omis' não vão me querer! Tem muita oferta de mulher! Oh céus, Oh vida!".
Então queridinha, vamos falar da "prática" dessas teorias machistas de que tem "7 pra cada homem" e tolices afins? Indo ao ponto: a "oferta" anda tão chata, fútil e intelectualmente vergonhosa que tem homem lindo e solteiro pagando pra passar final de semana comigo, por exemplo! Vocês estão imergindo em vício redibitório (perdão, não podia deixar de usar o vocabulário jurídico, que diz muito neste caso!).
Esqueçam esses "ideias" de beleza e "gostosura" que eu, pessoalmente, acho vulgar e deselegante (assimétrico ao extremo) e priorizem a liberdade de se sentirem gostosas enquanto mulheres que sabem o que querem, como gozam e sentem prazer! Admitam seus defeitos, afinal vocês não estão na televisão sendo privilegiadas por recursos de adulteração de imagem e "slow motion" enquanto vão arejar na sacada ou fazer um pipi no toalete, vocês não são "figuras" adulteradas de outdoor ou capas de revista!
Vocês são de carne, osso, gordurinha localizada, celulite, pele macia, cheiro gostoso, inteligência e, espero, calor, tesão, paixão, despudor e muita, muita autoconfiança e amor próprio! Não pense que malhar horas por dia e morrer comando quinoa, frango grelhado e batata doce (eca, mil vezes eca, eca até a próxima encarnação de frangos!) fará de você um mulherão gostoso e delicia na cama!
Menos ainda que plásticas e etc. segurará o seu marido, baby! O que lhe dá o diferencial não é o corpo e meramente a beleza, é a atitude, o QI e o QE (quociente emocional), o beijo ardente, a pegada e o que você faz sem roupa, com luz clara e sem vergonha de ser feliz! Não à toa, tem muita "Maria academia" sendo traída com a companheira de happy hour, cerveja e coxinha do marido! Ser sexy é saber se aceitar e seduzir com os pontos fortes, o resto é ser fútil, brochante e chata pra c******!
Cláudia de Marchi

Brasília/DF, 19 de julho de 2016.

2 comentários: