Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

terça-feira, 19 de julho de 2016

Precisamos falar de Gaslighting.

Precisamos falar de Gaslighting.

Vamos falar de gaslighting: uma espécie de abuso emocional comum a qual inúmeras mulheres foram ou são, diariamente, expostas. Ela consiste, segundo a Wikipedia, Gaslighting ou gas-lighting é uma forma de abuso psicológico no qual informações são distorcidas, seletivamente omitidas para favorecer o abusador ou simplesmente inventadas com a intenção de fazer a vítima duvidar de sua própria memória, percepção e sanidade. Casos de gaslighting podem variar da simples negação por parte do agressor de que incidentes abusivos anteriores já ocorreram, até a realização de eventos bizarros pelo abusador com a intenção de desorientar a vítima.
Vejamos alguns exemplos sutis desta forma de abuso que os homens negam até a morte que cometem, porque são incapazes de terem empatia e se colocarem no lugar da vitima do seu abuso. Tenhamos em mente que o macho que pratica o gaslighting é, a priori, egocêntrico, narcisista e machista. Acha-se o “pica das galáxias”, acha que porque faz “uma ou outra” coisa para lhe agradar deve tê-la de quatro, comendo nas mãos deles, sem ter autonomia alguma para iniciar uma “DR” e reclamar do que não está lhe contentando na relação.
“Chata" no dicionário machista/narcisista: mulher que não fica quieta diante de piadas que as diminuem ou que as colocam no papel de problemáticas e implicantes; "mau humorada" no vocabulário machista/narcisista: a mulher que não acha graça das suas piadas arrogantes, falocentricas, sarcásticas e abusivas.
Para o macho abusivo e narcisista "perfeita" é a mulher passiva, que não se ama e não se impõe. Aquela sem voz, nem vez, nem ânimo e energia que ri de suas brincadeiras de quinta categoria mesmo que elas lhes diminuam ao nível de "desequilibradas", "chatas", "ciumentas" ou "dramáticas".
"Decepcionei-me com você" no dicionário machista/narcisista: achei que uma mulher tão linda como você não iria "problematizar" sobre o fato de eu me achar o "pica das galáxias" e fazer pouco caso das suas necessidades emocionais que eu, "sabiamente" chamo de "chateações" e de "mimimi".
E tem mais neste minidicionário dos abusadores emocionais, querem ver? “Puta" no dicionário machista e misógino: 1- a mulher, seja ela virgem ou experiente, que não quis transar com ele, o macho, o gostoso, o “pau doce”; 2- a mulher, seja ela virgem ou experiente, que tendo atração por ele, resolveu transar, porque queria ter uns orgasmos (mas só teve um, tadinha!); 3- a acompanhante de luxo que o metidinho a “fodástico” procura disposto a pagar, mas que o rejeita, afinal, ela também escolhe!
E escolha é um direito de toda e qualquer mulher: nova, velha, linda, feia, magra, gorda, rica, pobre, negra, mulata, branca, amarela, rosada, vermelha, burra, intelectual! Mas tem muito pseudo-macho que acha que você, acompanhante, é obrigada a transar com ele, porque ele tem grana e se acha “pau de açúcar”. Esses eu não atendo nem que um dia, por ventura, eu venha a passar fome e sede. Sempre existirá uma poça d´agua pra beber, urina pra tomar, enfim!
Ah, e o tal de “louca” gente?! Palavra preferida por 9 em 10 homens incompetentes em conhecer o sexo feminino, enfim, "louca" no dicionário machista e misógino: 1- a mulher que não deseja ficar com o inapto; 2- a ex que entrou com o pé no termino enquanto ele entrou com a bunda; 3- qualquer mulher que o contrarie com veemência e argumentos, qualquer mulher que exija afetuosidade e coerência entre palavras e atos; 4- a ex; 5- a ex; 6- a ex; 7- a ex; 8- a ex; 9- eu já falei da ex?; 10- sempre a ex.
Infelizmente a sociedade machista ainda nos quer caladas. De preferencia nuas e abrindo a boca apenas para lhes chupar. Ainda somos meros corpos! Corpos que vendem cerveja, que vendem perfumes, grifes e revistas, ainda que quase totalmente alterados.
A mulher inteligente, a mulher que não depende emocionalmente de homem algum é exigente. Exige coerência, afabilidade e respeito. E, acredite queridinho, falar romântico e bonito, mas agir de forma, por exemplo, relapsa, não é respeitar. Mas, neste caso, seremos as “chatas” as “loucas”, pois eu ACEITO SER A FEMINISTA CHATA, mas eu não irei me abster de lhe fazer pensar!
Outro dia um jovem comentou num post meu no Instagram: “Muito gata e atraente, deixa a política pra lá...”. Bonita, gostosa, acompanhante de luxo, “pra que” eu preciso ler, me informar, questionar, e usar as redes sociais pra fazer quem pensa como eu não se sentir só e, aos demais, quem, sabe, questionar um pouco mais? Seguinte, darling: “aqui” é gata, é atraente, é linda, é gostosa e vai ter politica em post sim! Se reclamar vai ter filosofia, religião, sociologia, história, psicologia, Direito, FEMINISMO! Ops, já tem isso tudo né?!
Então, engole o choro! A beleza não afasta de ninguém a cultura e a inteligência. E não, eu não deixo e nem deixarei nada “pra lá”. Só opiniões não pedidas e machistas, por exemplo! Deixarei pra lá macho que quer “pintar” a mulher como desequilibrada, “nervosa”, maluca, estressada e etc., quando, na verdade, ela só esta manifestando alguma irresignação que ele, do alto de sua boçalidade, não sabe reconhecer.
E ainda tem quem ria quando eu digo que o que de melhor esses machos egocêntricos oferecem é o sexo! Gente, eles são tão "maravilhosos" quando só tentam nos fazer gozar e contam histórias que em nada se relacionam com a gente! Como são legais e interessantes aqueles que não conhecemos bem! Pra que se estressar com macho abusivo que acha que está sendo o "lord dos lords" e não passa de um grosso petulante? Eu gosto da cereja do bolo, ela é tão gostosa e sequer,  engorda!
O macho abusivo, (que jura que não é abusivo), até porque o menosprezo aos seus pontos de vista, sensações, pensamentos e receios é tão corriqueiro que, pra ele, nada existe de anormal em estigmatizar suas irresignações fazendo “pouco caso” delas e até usando de ironia e sarcasmo, como as taxando de “braveza”, “pavio curto”, “bomba prestes a explodir”, “chata” e etc., como se você estivesse reclamando de algo ou reivindicando alguma coisa simplesmente por ser uma “louca”, uma “desequilibrada”. Ele está sempre certo e não pode ser questionado.
Para esses homens é natural acharem e dizerem-lhe que tudo o que você fala e lhe desagrada ou fere a seu precioso ego é “exagero”, “desnecessário”, “nervosismo”. Eles não se colocam no seu lugar e sequer fazem “mea culpa” (nem sabem o que isso significa!), ou seja, a culpa é e sempre será sua e da sua falta de “calma”.
Daí, por exemplo, na manha posterior há um dia em que você expos o que lhe desagradava no proceder dele o homem emocionalmente com QI de ameba em coma e narcisista, lhe chama assim: "Bom dia! Mais calma hoje?". (Claro, afinal no dia anterior, você estava “desnecessariamente” histriônica, apenas e tão somente porque disse o que pensa com convicção sobre a forma de ele agir e “amar”).
Por outro lado, o homem inteligente, gentil e empático, diz: "Bom dia minha linda! Espero que o que lhe incomodou ontem não ressurja. Se depender de mim, não irá!"...
Mas, onde estão os homens sensatos e com empatia? Bem, eu desisti de procurar a tempos e de uma vez por todas prefiro ficar com a "parte" deles que dificilmente da "close errado", economizar minha bendita energia mental e manter meu tradicional bom humor sempre em alta!


Cláudia de Marchi

Brasília/DF, 19 de julho de 2016.

2 comentários:

  1. Muito bacana está postagem...O assunto do título pode parecer novidade, mas é algo que está na rotina de muitas: aquele namorado que distorce situações e faz a parceira de sentir mal, situações que de tão absurdas, parecem mentira e etc.
    Engraçado é que tem mulheres que realmente acham que não precisam de feminismo... Nestas situações eu sempre pergunto quem foi que lutou pelo seu direito ao voto...

    No mais, parabéns pelo blog, pelo site, por ser tão digna e por fazer com que eu me identifique com seu posicionamento diante a vida!!

    "Porque tudo o que é feito com amor floresce." (Haia Marak)

    Bjoss


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Carlinha! A palavra pode ser desconhecida por muitos, as atitudes não! Não há uma mulher que nunca tenha sido vítima ou visto alguém sê-lo neste mundo. Está na hora da mulherada se inteirar, ler mais e adquirir a verdadeira independência: a emocional e afetiva! "Eu me amo e me respeito e não aceito nada menos disso", enquanto isso não ocorre elas são, infelizmente, reprodutoras do machismo que mata dia a dia! Beijos linda!

      Excluir