Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Sexta de safadeza, anal perfeito, papos divertidos e de um telefonema "fantasioso" de tão tosco!

Boa noite gente linda!
Hoje estive das 10h30min às 16h30min com meu cliente cativo de quase toda sexta-feira e, espero, sábado!
Ah, quanto sexo bom, quanta conversa boa!
Além de excelente vinho e comida!
Estávamos há 15 dias sem nos encontrar, então havia muita vontade mutua, física e psíquica! Eu quase o engoli chupando! Gozei muito com o oral dele, depois transamos e por fim fomos ao anal quando ele gozou! Após, descansamos e recomeçamos!
Gozei de derreter no anal, mas estávamos sem forças e pedimos o almoço!
Divertimo-nos muito com conversas que variaram de “escola sem partido” a analfabetismo funcional e correção imobiliária
Após, fui à massagem onde recebi uma ligação.
Primeiramente o cidadão elogiou minhas fotos que viu no Belas 61 e, após, no www.simonesteffani.com.br, depois pediu meu cache (R$ 500,00) e veio me dizendo: “Nossa, deve valer a pena, aquelas fotos são ‘certas’ de você né?”.
Caramba, eu tenho uma preguiça de pergunta sem noção que vou lhes contar! Explico: está lá no meu site, no agradecimento à exímia fotografa Fernanda Bueno, escrito que só foram feitas alterações de photoshop em oito (8) imagens! Ademais, ainda que fossem todas “modificadas”: o valor do meu sexo e corpo quem impõe sou eu, porque quem acha que eu “valho a pena” sou eu, não preciso que macho indague isso ou procure uma justificativa para “abrir a mão” e me pagar! Acha caro? Cala a boca e procura outra.
Se eu valho a pena? Meus clientes, meus gostosos clientes sabem! Simples, não saio por aí fazendo propaganda de mim mesma. Pra mim, propaganda não é a “alma do negocio”, atitude, diferencial sim.
Depois o sujeito veio me perguntando se eu, “inteligente e com conteúdo” como sou gosto de realizar fantasias, “interpretar papéis” e tal. Respondi que não, então o ser-humaninho se espantou que alguém com minha “mente e inteligência” não goste disso!
Ora essa, meu filho! Eu fodo! Fodo gostoso, gosto de colocar o pau do cara até o talo na minha boca, gosto de pressão, de anal intenso, de beijos, de sacanagem e nisso tudo há espontaneidade! Eu sou a Cláudia e ponto. Gosta, gosta, não gosta procura outra!
Prazer é o papel que eu vivo, não interpreto, portanto, não vem com essas fantasias juvenis que eu não curto! E não sou obrigada a curtir só porque sou inteligente. Burro é quem pensa o contrário!
Bem, depois de horas de orgasmos deliciosos, vou descansar, porque amanha pela manha é dia de retocar as mechas para, semana que vem, ir com o loiro perfeito pra Punta Cana! Delícia!
Beijos de luz povo lindo e inteligente, beijinho no ombro para os otários! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário