Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quarta-feira, 6 de julho de 2016

TERÇA-FEIRA: MAIS UMA FODA "BOMBÁSTICA" EM OUTRO BELO HOTEL DA CITY!

Boa noite meus amores!

Uau, que dia que terminou bem melhor do que começou!
Um cliente de São Paulo havia marcado um encontro aqui em casa às 22 horas.
Pedi se ele não queria que eu fosse até ele. Como o hotel é perto de onde moro, não cobrei os R$ 50,00 relativos ao meu deslocamento e fui. Aquele ambiente de hotel me excita muito, acho elegante, lúdico!
E, assim, às 21h15min cheguei lá.
Homem de 37 anos, boca e sorrisos perfeitos, levemente grisalho, magro, belas pernas!
Aguardou-me na lindíssima recepção do local. Ao chegarmos ao lindo quarto/apartamento em que ele estava me beijou ardentemente. Ele sabia que eu estava, ainda, um pouco menstruada e não se importou. Já havia me dito isso ainda hoje, pela manha! Fiquei excitada só de imaginar em transar com alguém tão sem nojinhos vis quanto eu!
Sabem o que é um homem que gosta de sexo de verdade? Sem nojinho? Sem mimimi? Sem frescura? Era esse gato aqui referido!
Fez-me um sexo oral que me fez ver estrelas! Depois ficamos no “69” e o absorvente interno lá dentro, só aparecia o fiozinho dele.
De repente ele me pergunta o que aconteceria se ele “puxasse o fio”. Pedi pra me trazer papel higiênico e eu mesma tirei. Não tinha quase nada de sangue, mas higiene é tudo!
O que ele fez depois que eu tirei o OB? VOLTOU A ME CHUPAR. Mas chupar com gosto, me saboreando com um tesão enorme que fazia minha buceta derreter e meu coró ferver! E aquele pau gostoso duro, duríssimo, dava para sentir todas as veias dele na minha boca! Chupei-o tentando engolir o máximo que eu podia. Foi ótimo!
Gozei incontáveis vezes na boca dele, despudoradamente, assim como ele me chupava sem vergonha alguma! Chupava-me como nenhum homem que me jurou amor eterno me chupou! Nossa! Como eu amo a minha nova vida!
Eu pedi pra ele me comer, pois estava louca de tesão. Então ele colocou a camisinha, me fez gozar horrores Dava pra o sentir pulsando dentro de mim apesar do “adorno” (preservativo)!
Depois ele quis comer meu cuzinho! Virei de bunda pra ele e ele, gentil e cavalheirescamente, depois de muito ter chupado e lambido meu cu, foi colocando aquele membro duro dentro de mim. Gozei uma vez seguida da outra.
Agora, estou esperando um lord, meu, por enquanto, apenas conhecido. Iremos ao motel e o objetivo será eu transar com o filho dele de 20 anos. Quiçá com ele, depois. Alguém irá “assisti-lo”! Bora experimentar? Amanha lhes conto.
Nossa, estou me sentindo uma puta com “p” maiúsculo! E dai né!? Antes puta do que infeliz, antes puta do que acomodada, antes puta do que crer que a infidelidade é natural para satisfazer os instintos humanos. Eu sou puta sim, quando devo ser. Fora de tal momento, por favor, recolha suas imoralidades para você e goze, mas sem estigmatizar, julgar ou criticar. Obrigada.
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário