Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 28 de agosto de 2016

Pirenópolis: um goiano gostoso ao extremo, divorciado e loucuras sexuais- da estrada ao anal "quase" em público!

Boa tarde gente linda e gostosa!

Então, andei sumida desde ontem! Meu cliente de Goiânia me buscou cedo aqui em casa e fomos para o pequeno pedaço de céu que se chama Pirenópolis! Eu fui há meses com um cliente que reside nos EUA e ficamos pouco tempo também, mas desta feita foi mais divertido, pois viajamos daqui até lá e fizemos umas 3 paradas estratégicas no caminho! Sorte que o banco do carro era de couro, ele me fez gozar diversas vezes nele!
Ele estava em Brasília a negócios, mas fez questão de me ver. Terminou pagando a diária de R$ 3.000,00 e mais um pouco! Fiz ele gozar na minha boca no carro umas 4 vezes! Inclusive dirigindo, (não sigam este péssimo e delicioso exemplo!...Risos).
Ficamos numa bela pousada, aproveitamos a piscina aquecida e a do nosso “bangalô”! Assim como a banheira, enfim, transamos desvairadamente. Tarde da noite fizemos o segundo anal do dia numa espécie de “espreguiçadeira” que tinha no nosso espaço! Ao ar livre!
Confesso que praticamente não dormimos! Ele queria voltar à Brasília me trazer e aproveitar a viagem sexualmente insana e irresponsável, mas o gerente de um empreendimento dele estava com problemas. Logo, contratou um táxi, acertou e, então vim, numa volta bem insossa!
Sobre a aparência do bem aventurado? Alto, forte, belas pernas, sorriso aberto, humorado e surpreendentemente divorciado! Uau! Um homem jovem e com culhões! Admirável, em que pese tenha um filho pequeno, compartilha a guarda e tal! Enfim, brincamos de namoradinhos! Daqueles casais de namoradinhos afoitos e que trepam onde bem entendem!
Por conhecer meu gosto por vinhos e como ele esteve na França recentemente levou 4 garrafas para degustarmos! Uau! Vinho, sexo, beijos ardentes! Foi sensacional. Sem muitas palavras, mas com mais assuntos intelectuais o goiano de 37 anos me levou ao céu!
Agora, chegando em casa e consultando meus processos em tramite verifico alguns problemas que terei para resolver no RS: uma advogada, ferindo o art. 11 do Código de Ética, sem motivo algum, “atravessou” uma procuração num processo no qual trabalho desde 2011 e, enfim, está em fase de execução!
Ainda bem que orgasmos não faltaram no meu sábado e na minha manha, assim minha paciência se mantém até amanha! Ademais, logo meu amigo gay preferido chega com torresmo para tomarmos rum com coca! Risos...

Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário