Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Quinta-feira de correria e muito prazer com um cliente novo delicioso!

Olá gente linda!!!!

Ontem não tive forças nem pra lhes dar “oi”. E não foi por estar sexualmente satisfeita, (afinal sexualmente exaurida eu nunca fico!), mas por estar fisicamente exausta!
Tenho muitos livros, roupas e vieram todos de Sorriso/MT e ontem me encarreguei de guarda-los! 
Vejam algumas das caixas de livros que tive que guardar. Organizo por temas e autores:

Ali no meio está o Zeus, meu gato. Achei algumas "pérolas" do tempo de faculdade que me fizeram sentir saudade da militância advocatícia, motivo pelo qual guardei a "mini biblioteca" jurídica dentro de armários e os demais nos nichos do escritório/quarto. 



Nossa, foi cansativo! Isso sem falar em DVDs, taças de cristal (sou fã!) e o meu banheiro que tem mais produtos cosméticos e perfumes do que metros quadrados! Risos...
Mas tem uma banheira de hidromassagem para eu me namorar tomando um bom vinho nas minhas noites de sábado ou sexta! Arre, nada como amar a si mesmo e sentir-se rejubilado na própria pele! Adoro esses momentos a sós comigo, ouvindo uma boa música! Sim, eu sei, eu sou um ser humano estranho, confesso, mas me amo e sou feliz assim impar!
Enfim, ontem tive que dispensar três clientes. Essa mudança está me fazendo gastar e perder dinheiro, mas, até semana que vem tudo se normaliza!
Hoje vieram instalar TV a cabo, telefone fixo, internet e, depois, colocar duas das quatro televisões que tenho nos respectivos lugares. Semana que vem instalarei uma delas no meu quarto e uma delas serei obrigada a guardar, vou dar pra Dani, minha priminha que mora no Pará.
Na data de hoje dispensei clientes de manha e no inicio da tarde, quando fui fazer as unhas que voltaram horrendas de Punta Cana! Parece que minhas unhas tem alergia de água salgada... Risos...Em míseros dias, esmalte ruiu, unha quebrou, um fiasco total!
Mas, só tive tempo hoje para cuidar da aparência e lá fui eu: uma hora e meia no Unha por Unha do Boulevard. Na volta havia marcado com um cara super educado e gentil que queria me conhecer. Vindo embora estava ciente de que não tinha mais ninguém aqui e disse para ele vir em 40 minutos. Ledo engano!
Chego aqui e eles estão colocando as televisões em seus lugares! Liguei pra ele, almocei correndo e fiquei esperando os moços terminarem seu trabalho. Ele se deslocou até meu prédio para esperar o momento de poder subir. Creio que tenha esperado 1 hora, mas deu certo! (Literalmente...).
Ele leu de ontem pra hoje todos os posts do meu diário e estava louco para lamber meu cuzinho e minha buceta! Fui atendê-lo apenas com um chambre preto e começamos a nos beijar logo na porta do apartamento!
Levei-o ao quarto e ele me fez virar contra a parede para me chupar (eu estava sem calcinha)! Depois me colocou de quatro e revezou entre o oral anal e vaginal! Fui à loucura e ele adorou me ver de quatro!
De inicio ele me disse que não conseguiria gozar, mas que aproveitaria cada liquido meu. E foi assim! Comeu-me com a boca, com o pau em todas as minhas cavidades e depois me masturbou com os dedos e tomou o suco que saia da minha buceta! Foi realmente uma transa de incontáveis orgasmos!
Depois conversamos um pouco e ele reclamou, como muitos, da falta de espontaneidade e entrega das outras mulheres, inclusive das existentes no site onde ele me encontrou. Uma pena! Não adianta: se você quer ser bom em algo tem que gostar do que faz, não apenas do lucro. A ambição e falta de apetência e talento gera um trabalho medíocre. E quem ama o que faz se diverte fazendo, não é!? Digamos que eu seja assim com o sexo, meu trabalho. Assim como já fui com o magistério e advocacia dos quais desisti por decepções.
Decepções que minha atual carreira não gera: não tenho colegas, ou melhor, não convivo com elas, não sei se existe “competição” eu só “compito” comigo mesma: fazer hoje um oral melhor que ontem e assim por diante! Fora outras coisas que quero me aprimorar para fazer. Todavia, faço o que faço pelo meu prazer, o do outro vem consequentemente!
Agora vou comer algo e descansar, não vou arriscar-me em quebrar unhas mexendo em caixas, não, chega! Hoje não!... Risos...
Ademais, com a TV a cabo instalada, existe “vida”! Em que pese eu ainda não tenha comprado um sofá pra sala de televisão. Nem a sala de jantar. Nem poltronas. ... Risos... Minha mãe doou tudo lá no MT porque meus filhos felinos tinham estragado muito! Vou comprando as coisas aos poucos!
Tenham uma boa noite!

Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário