Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Segunda-feira deliciosa de correria e incontáveis orgasmos!

Boa noite povo gostoso!

Minha semana começou do jeito que eu gosto, agitadíssima!
Pela manha fui ver um sofá seminovo para comprar! (Sim gente, eu não tenho como comprar tudo zero quilometro no presente momento, tive muitas, muitas contas para pagar no ultimo mês e, ainda, a bendita mudança do MT pra cá!).
Bem, adorei o móvel! Após fui ao Carrefour próximo ao Park Shopping, pois queria ir à Nespresso reabastecer meu estoque de café! Fizemos nosso “rancho” (lá no RS falamos assim, compra “grande”), almoçamos e viemos. Descobri que a Nespresso saiu de lá, logo, na sequencia vou comprar meus cafés on-line (aliás, saudade do cliente/amigo que me deu a cafeteira!). Dispensei dois clientes pela manha, o que me deixou pesarosa.
À tarde, porém um deles marcou e outro estava marcado desde sexta e viria ao final do dia, vez que até o depósito bancário de uma hora fez, o resto pagaria no cartão, pois o plano era ficar 1 hora e meia comigo.
Viemos, recebemos as compras, o sofá e fui me arrumar! O cliente chegou no horário combinado. Eu já havia atendido ele no meu antigo endereço, mas confesso que hoje a transa foi esplêndida!
Ele é grisalho, casado há anos, deve beirar os 50, tem uma barba farta e me dá um tesão fora de série! A química é excelente!
No quarto começamos a nos beijar e ele me despiu, de terno e gravata me colocou na beira da cama e me fez gozar inúmeras vezes na boca dele. Depois, tirou suas várias peças de roupa!... Risos...
Chupei-o muito, tentando colocar o máximo que eu podia na minha garganta. Eu havia gozado muito naquela deliciosa língua dele, estava desatinada de tesão por ele! Então ele ficou sobre mim e eu comecei a brincar com o pênis dele, esfregando-o fora da minha buceta.
Gozei uma, duas, três, quatro, cinco, seis vezes! Então ele que nem havia me penetrado, gozou na minha barriga! Limpei a porra dele e engoli o máximo que pude. Deitamos e o meu tesão não respeitou o sexualmente denominado “período refratário” dele...Eu quis de novo, queria muito fazer anal com ele, pois na ultima vez não fizemos!
Todavia, o tempo estava chegando ao fim e ele tinha que ir embora. Masturbou meu cuzinho e me fez gozar mais unas 3 vezes. Tomou banho e foi pra casa!
Mais tarde eu tinha o doce cliente que paga a hora adiantada, todavia ele se atrasou 20 minutos e eu e minha mãe temos compromisso, logo, ele virá outro dia! Sei que com ele 1 hora é pouco, então realmente precisamos de 1 hora e meia!
Na verdade, 1 hora realmente é pouco pra mim com qualquer homem bom de cama! Sou tarada demais. Repito: sobretudo se o cliente for bom de língua, tato, beijos e pegada!
Estão curiosos sobre a camisinha perdida ontem no sexo anal né!? Ela saiu graças ao laxante! Limpa e linda... (o quão “linda e limpa” pode sair algo perdido no ânus de alguém, é claro)!
Bem, agora vou tomar algo, descansar e ver televisão! Acreditem ou não, mas minha massagista e depiladora fica na Vila Planalto e amanha marquei as 06h40min com ela (ou melhor, ela marcou comigo! Era o único horário que tinha!) e eu preciso ficar lisinha de novo, tanto o abdômen quanto o playground que está com alguns poucos e desgraçados pelinhos!
Bye povo lindo!

Beijos de luz!

Um comentário: