Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

terça-feira, 6 de setembro de 2016

"Dia do sexo"? Aqui teve! Véspera de feriado com trepadas sensacionais!

Boa noite povo gostoso!
Hoje atendi durante 1 hora e meia a um adorável, inteligentíssimo e cultíssimo, já cliente!
Ele me trouxe alfajores chilenos! Fez cirurgia bariátrica e já perdeu bastante peso!
Beijamo-nos, ele me masturbou, depois me fez gozar novamente me chupando! Acho que fez isso por quase meia hora. Gozei um monte!
Depois chupei ele, colocamos a camisinha e ele comeu minha buceta, depois ficou de pé e comeu meu cuzinho. Veio a gozar mais “tarde” na minha boca! Conversamos mais um pouco e ele foi! Prometeu voltar para comemorarmos “algo” muito legal que deverá ocorrer na vida dele!
Ontem à noite eu havia agendado com um paulistano um encontro hoje pela manha, pois ele teria compromisso mais tarde. Todavia, como dormi com meu cliente cativo de fora da cidade, não pude cumprir com o combinado.
À tarde além do cliente, eu estava esperando o bendito instalador da porta de vidro que, mais uma vez, me deu “balão”. Logo, marcamos para o fim da tarde e ele veio.
Hoje foi o dia dos gordinhos gostosos! Este último muito educado, sério, belos lábios e aquela energia que eu capto e diz: “é gostoso”! E nunca erro! Quando nos beijamos o tesão explodiu! Ele me masturbou de cara e me fez gozar, em seguida me chupou. Ficou de pé me masturbando enquanto eu o chupava. Gozou na minha boca! Delícia!
Tinha um pau grosso, muito gostoso!
A seguir conversamos um pouco e logo eu quis de novo! Ele estava com certa “dificuldade”, pois “pegou” duas garotas de programa ontem á noite. Segundo ele “arrependeu-se”, pois não imaginava que eu fosse “tudo isso” (nada como pagar pra ver não é mesmo?! Propaganda não é a “alma do negócio”, atitude é!). Enfim, logo ficou de pau duro, comeu mais minha buceta e terminamos com um delicioso anal!
Agora vou assistir filmes com mamãe! Hoje mais tarde uma das minhas tias de Passo Fundo chega! Amanha pretendo ir ao shopping e salão! Meu cabeleireiro divo Fernando Kosta vai trabalhar no feriado!
Deixo com vocês a foto do meu parceiro Pequeno Bolota, que hoje, no “dia do sexo” em que trepei praticamente o dia inteiro, lamenta ter sido castrado! Fazer o que bebê, como disse o filosofo Jagger (estou parafraseando minha alma gêmea fictícia, Dr. House): “You can't always get what you want”.


Beijos de luz povo lindo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário