Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 25 de setembro de 2016

Domingo doce e um novo cliente catarinense gostosíssimo!

Boa noite povo gostoso!
Ontem parti em torno de 13h30min juntamente com meu amigo Marco Aurélio e com minha mãe para a Ceilândia onde participei do círculo sobre os Direitos e as Garantias Fundamentais previstos no artigo 5º da nossa, recentemente, pisoteada Constituição Federal. 
Eu realmente amo interagir, instigar ao pensamento crítico e todas estas coisas que, se bobear, logo serão consideradas crime por um governo que escrachadamente quer fomentar a burrice de nossos jovens, quiçá para manter-se mais 500 anos no poder através da boa e velha forma democrática... Risos... que não é o que se afere neste momento em que temos um presidente da república inelegível por 8 anos segundo o TRE/SP.
Enfim, chegamos em casa, preparei petiscos com queijos e vinho e assisti a um filme de 1996 excelente (Tempo de matar)! Acessível na Netflix, cinéfilos de plantão! Elenco e enredo sensacionais! Mais tarde tive que dispensar um pernoite, pois já tinha tomado uma garrafa de vinho e estava imersa na minha banheira. 
Não saio de casa quando bebo algo. Ainda que o cliente esteja num bom hotel nunca sabemos como ele pode ser e qualquer taça de vinho altera nossa capacidade de reação frente ao inopino.
Hoje basicamente dormi, li, assisti filmes, comi e, então, mais tarde o educado homem que tive que dispensar na noite de ontem me chamou. 
Quis ficar comigo por uma hora e meia. Fui ao hotel e fiquei surpresa pela juventude e beleza do moço! 30 anos, catarinense, simpático, extremamente culto e leitor do meu blog!
Disse que nunca saiu com acompanhante e que não poderia ser nenhuma que não fosse eu, me achou mais atraente do que nas fotos. Enfim, fiquei rubra com tantos elogios.
Pedi uma água, tomamos e, a seguir, eu o "ataquei"! Ele reagiu com uma atitude firme e docemente violenta ao me jogar na cama, tirar meu vestido e minha calcinha. Me chupou de todas as formas e em todas as posições. 
Tirou a calça e ... Uau! Chupei-o de quatro na cama e ele gozou na minha garganta! Estava realmente excitadíssimo!
Levantei e fui ao toalete, após me lembrei que meus preservativos estavam na bolsa e já peguei dois! Voltei, sentei sobre ele e tornei a beijá-lo! Logo sento o pau dele duro de novo, chupei mais um pouco e dei o preservativo para ele colocar, pois temo machucar com minha unha.
Ele colocou e eu subi sobre ele! Nossa, como eu gozei! Gozei muito, lavei a barriga "tanquinho" do cliente! Ele foi se segurando para não gozar para ver o quanto eu gozava!
Então, animada e excitada com a forma com que ele olhava meus squirts sentei meu cu naquele membro grosso e duro! Uau!!! Dei uma super gozada na hora e ele ficou bestificado! Começou a tremer as pernas! 
Então em quicava para o pau atolar mais, gozei mais três vezes e, por fim, ele gozou! Quase gritou, diga-se de passagem!
Disse que foi a melhor transa da vida dele e que, (imodesto que só!) "por ser solteiro e rico ele transa bastante"...Risos... Esta frase foi meio broxante, mas a esta altura eu já estava tomando uma ducha para vir para casa!
Vou ler e descansar um pouco mais, realizada, porque orgasmos intensos não me faltaram hoje!
Beijos de luz!


Nenhum comentário:

Postar um comentário