Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Início de semana mais que perfeito: boa companhia, squirts e infindáveis gozadas!

Boa tarde queridos!

Tive um dia perfeito do início ao fim ontem! “Caminhoneiresco”, inclusive! Meu melhor amigo, eu e minha mãe fomos a Goiânia encontrar meu pai, a esposa dele e a amada das amadas, minha irmã Maria Clara!
Papai fez churrasco numa churrasqueira móvel que ele tem! A Maria esposa dele fez vinagrete, maionese, arroz e purê de batatas! Como eles tem uma geladeirinha no caminhão tinha cerveja gelada! Eu levei rum, pois é low carb...Risos...E umas Heineken para o Marco Aurélio que adora!
Tivemos um domingo perfeito! Família reunida, eu e a mãe matamos a saudade da Clarinha, nos recordamos dos bons tempos de viagens de caminhão! Bem, usei o pinico delas três vezes para fazer pipi e não precisar encarar o banheiro do posto que era longe! Risos... Sim gente, eu sou uma lady, mas não tenho “frescura” pra nada!
Paramos no Jerivá ("parada point" entre Brasília e Goiânia), no regresso, para fazermos comprinhas! Chegamos, guardamos o carro, subi correndo, tomei um banho rápido e ás 21 horas fui encontrar um cliente que eu adoro num hotel! O Marco mesmo me levou.
Ele me recebeu na recepção, subimos jantar no restaurante, tomei uísque com ele (me sinto meio alcoolizada ainda)! O sexo entre a gente é extremamente gostoso, a química perfeita. Assim como os assuntos, pena que ele mora longe e não vem com frequência à Brasília!
Enfim, muito sexo, multiorgasmos e diálogos! Ficamos juntos das 21h30min até quase duas da madrugada!
Agora pela manha atendi a um cliente novo que havia marcado uma hora para hoje às 10 horas ontem. Tivemos uma química fantástica desde o primeiro beijo! Chupou minha buceta, meu cu, me fez gozar litros! Squirts e mais squirts!
Um belo pau, grosso e gostoso! Chupei-o inteiro! Fizemos 69, eu engolia ele enquanto me masturbava, uma loucura!
Colocamos a camisinha e ele comeu minha buceta, me dominou deliciosamente num misto de força com delicadeza. Demais! Dai partimos para o anal! Uma gozada seguida da outra! Ele metia com força, como eu pedia. E gosto. Ficou sentado no meu cu metendo por muito tempo, até que gozou pela primeira vez.
Ele tirou a camisinha e eu lambi e chupei o pau dele pra limpa-lo. Ele tornou a me masturbar, recomeçamos. Ele gozou na minha boca. Continuamos. E continuamos. E continuamos. Eis que se passaram duas horas de sexo selvagem. Risos!
Eu conseguia gozar até quando ele tirava o pau de mim. Algo que chamo de orgasmos “póstumos”... Risos... E recomeçamos. Mais e mais. Ele gozou pela terceira vez nos meus seios e me deu a porra na boca. Após, ele foi para o banho (eu não conseguia me mexer ou pensar), vestiu-se, conversávamos sobre as cidades em que residi e etc., quando nos beijamos. (Inclusive “descobri” nos assuntos que ele tem 49 anos! Não aparentava. Nem pelo rosto, menos ainda pelo desempenho e rápido período “refratário”). Ele já estava vestido e eu enrolada na toalha.
Então, vestido, me colocou na beirada da cama, se ajoelhou, me chupou (eu não havia tomado banho), me masturbou e então abriu a calça, estava de pau duro. Beijava-me, salivava na minha buceta e esfregava o pau fora dela. Fiz squirts a ponto de voar na camisa dele, acho que até no rosto! Por fim ele gozou em na minha barriga. Eu peguei com os dedos e engoli. Ele gozou 4 vezes em 2 horas! Eu devo ter gozado 400... Risos...
Esta semana, desde a noite/madrugada de ontem, realmente começou bem!
Agora eu preciso daquela coisa...como é o nome?!... Hummmm! Descanso!
Oh delícia!

Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário