Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Segunda surpreendentemente sensacional!

Boa noite povo lindo!
Eita que minha segunda foi deliciosamente agitada! Não em "números", mas em qualidade.
Manha de descanso, tarde de "serviço de rua", café, limpeza de pele e depilação com as minhas lindas da Corpore San na minha queridinha Vila Planalto!
Já estava esperando o Uber quando um cliente fiel (já viajamos juntos), porém de fora, me contatou. Ele teria o tempo das 19h às 20h. E, como eu estava vestida? De jeans, blusinha branca, sandália/chinelo da Carmen Steffens e com o rosto lavado após a limpeza de pele! Como não daria tempo de eu vir para casa e me arrumar, e eu estava com saudades do nosso sexo, topei ir naqueles termos juvenis de roupas (me visto muito discretamente no meu dia a dia, gosto de passar despercebida).
Lá chegando, com vergonha de passar naquele "estado" e dar meu pseudo-famoso-nome na recepção, passei reto e entrei no elevador. Todavia, o cidadão que nele entrou estava descendo e, sem o cartão, o elevador não sobe. Moral da história: subi o equivalente a 8 ou 9 andares pelas escadas. 
Por sorte, cheguei ao apartamento e ele estava ao telefone! Fui ao banheiro, me despi, deixei a porta aberta para ele vir atrás e liguei uma ducha gelada!
A seguir aquele monumento loiro, alto, sensual e gostoso veio, já com o pau duro! Me beijou, me masturbou, me colocou contra a parede e roçava aquele pau na minha bunda, me virou se abaixou e me chupou. Depois eu o chupei. 
Saímos, ele me ergueu sobre a pia e meteu na minha buceta, depois, com o espelho á nossa frente ele comeu minha buceta comigo de costas, a seguir comeu meu cuzinho! Fiz uns 3 squirts de gozadas fortes nas últimas "metidas", antes de ele gozar. 
Eu estava ofegante! Sai, peguei uma água no frigobar, ele voltou para o banho. Então, fui! Nisso ele atendeu a mais ligações e eu fiquei deitada esperando ele. Veio, conversamos bastante, nos "atualizamos" desde nosso último encontro e, logo, eu desejei mais! 
Beijei-o, me esfreguei sobre ele, chupei, depois ele veio sobre mim, me tocou, me sentiu molhada roçou aquele pau na minha buceta sedenta por mais sexo! Colocou o preservativo e comeu minha buceta deliciosamente! Até o fim.
Sai do hotel exausta e taquicárdica! Que foda!
Desmarquei um encontro, por impossibilidade física, chegando em casa tomei mais um delicioso banho, jantei, vesti minha camisola e, cá estou, realizada!
Uma segunda surpreendente com um cliente adorável!
E a pele? Lisinha e macia! Porque é assim que tem que ser.
Beijos de luz povo de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário