Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Uma terça-feira de manha gostosa, repleta de squirts e minha primeira dispensa de cliente APÓS ter chegado à minha casa!

Boa noite gente linda!
Escrevo rapidamente, posto que estou saindo para um encontro!
Recebi pela manha um novo e encantador cliente!
Tirou meu vestido, chupou meus seios, me chupou demoradamente e me fez gozar muito na boca dele, não contente me masturbou e me fez ter incontáveis squirts.
Chupei, ele me tocava, depois chupei ele deitado até gozar na minha boca! Conversamos, por um bom tempo e, depois, ele tornou a me masturbar e me fazer gozar e eu tocava o pau dele, quando estava bem duro dei a camisinha, ele colocou, comeu minha buceta de frente e passava a mão no meu bumbum, pedi pra ele meter no meu cu!
Gozei mais umas 3 vezes com ele "atrás" e, a seguir, ele gozou!
Conversamos um pouco mais, ele foi para o banho e foi embora! Me passou várias dicas de livros. Muito legal!
Quase ao término da manha um cidadão marcou e chegou aqui ás 14 horas. O beijo foi horrível, a química também, obriguei-me a dizer que NÃO IRIA PROSSEGUIR E LHE "ATENDER" SEXUALMENTE. Não tinha condições. 
Eu perco o dinheiro, jamais a dignidade!
Ele saiu sem pagar, e, não gozar, por não gozar, eu não gozei, mas também não me despi e nem precisei chupar o pau de um estranho cujo beijo não me estimulou. 
Sou fã de beijos, se o beijo não me agrada é "dá licença" na certa. 
Após ele ir embora, li e descansei. 
Confesso que fiquei com medo de ser agredida, mas minha mãe trabalha no apartamento, tem porteiro, câmeras, seria uma extrema tolice!
Faço o que faço pelo meu prazer e bolso, não admito fazer sexo só pra agradar o macho. Enfim, jamais faria sexo com quem viesse a me dar asco ao beijar-me ou qualquer coisa afim! Eu! Eu! Muitas atendem, muitas sequer beijam, outras nem gozam! 
Tem muitas que se colocam nesta profissão só pra satisfazer o macho e faturar. Não é o meu caso e “9 e meia” em 10 vezes saio muitíssimo realizada, acarinhada e cuidada. Por isso não atendi o sujeito que deslocava repetidamente a língua dele para dentro da minha boca!
Beijou mal, eu já sei que não me fará gozar e dispenso! 
Bem, estou saindo!
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário