Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Quarta-feira à noite e o gaúcho que não beija!

Eis que acabo de chegar do Windsor Plaza, e estou até agora estarrecida!
Tive uma super boa intuição de um cidadão mui educado que me contatou lá pelas 22h. Estava louca de tesão, então aceitei atendê-lo.

Velho ritual: banho, dentes limpos, cremes importados, perfume francês caríssimo, rímel francês, batom e uma roupa elegante.

No caminho disse-lhe que se quisesse pedir um drink poderia, porém ele é abstêmio e cá esta para um congresso do seu ramo profissional.

Muito bonitinho, magro, educado, tudo ia bem até eu tomar minha água e querer o que? Um beijo! Para começar a ficar excitada, inspirada e tarada como, de costume, os meus clientes "me tem". Afinal, minha lubrificação vem de beijos e toques.
Então ele me diz, todo sem graça: "Eu só não beijo". Naquele momento, segurando o desprezo que me invadiu, disse pra ele que eu não iria gozar se prosseguíssemos. Que NÃO SEI FAZER SEXO SEM BEIJAR. 

Segundo ele, "leu" meu site. Todavia, acho que o pobrezinho só entende da própria esposa corna (talvez o homem tenha casado virgem, sei lá) e de uma acompanhante miserável que ele tem lá no RS e o atende há um ano, nesses moldes, sem beijar. Aposto que a base de lubrificante e muito fingimento!

Pela profissão que o sujeito tem ele não pode ser analfabeto funcional e deveria ter compreendido, ao ler o que disse ter lido, incluindo a Zero Hora do final de semana, que estou aqui para me divertir, foder gostoso, beijar muito, gozar muito, não só pelo vil metal! 
Deduzo que ele é do tipo que tem nojinho, acha que vai ter porra alheia na boca da acompanhante, enquanto, se ele for frio assim em casa, quem tá tomando porra do colega da esposa por tabela é ele em cada "selinho" insosso que recebe ao chegar em casa.

EU NÃO SOU UMA ACOMPANHANTE COMUM, SOU UMA CORTESÃ DE LUXO (vide narrativa do cliente com quem fiquei 2 horas nesta tarde). Faço sexo porque gosto de sexo e não faço nada só pra agradar ao ser pagante. E pelo visto este cidadão não entendeu o básico e cometeu a gafe de me chamar.

Sintetizando:

Sem beijo, sem orgasmo. Sem beijo, sem desejo. Enfim, que tipo de mulher goza sem beijar na boca? Já ouviram falar de tantra? Beijos tântricos? Da importância do beijo para o gozo? Beijo é orgástico! 

A moral da história: fiquei 15 minutos, não tirei a roupa, cobrei e recebi os meus R$ 600,00. Era dever dele que "leu" sobre mim saber como sou. O era um bonitinho, mas sem beijar eu não transo nem com o Cauã Reymond. O beijo gostoso é o lubrificante natural da mulher! 

Tem puta mentecapta que assistiu a  "Uma linda mulher" é um "manual da vadia bem sucedida",  bem vamos lá: 
1- era um romance hollywoodiano do século passado. Basicamente surreal!; 
2- o final, como sempre, foi "feliz", até porque dali em diante não se mostram os embates frequentes graças a diferença de cultura e instrução (ninguém aguenta viver com alguém só por sexo); 
3- a Julia Roberts além de rosto, tinha um corpo perfeito, (detalhe fútil, mas convém dizer), tinha um sorriso iluminante!; 
4- "Beijar é muito íntimo", aham! Como disse o Leandro Karnal (contou-me um cliente), "sexo é troca de fluídos" Ou dar a b*****, chupar o p****, dar o c*, lamber o s****, receber p***** na boca não é íntimo?! É "corriqueiro", se faz a cada esquina!; 
5- Chegamos a um tempo em que equilíbrio psicológico, "sexoterapia", leitura, cultura, liberdade, racionalidade e inteligência são necessários até pra pagar e receber pelo sexo! (Sexo bom e com entrega e não esse mimimi mecânico que o homem finge que se importa com a mulher e ela finge que gosta e goza). A cada dia que passa eu entendo os ETs. Não tem como querer contatar esse povo vergonhoso!

Eu tenho um lema: não finjo orgasmo, deixo o cara saber que trepa mal. E não atendo quem não me beija: tem nojinho e mimimi, procure outra, porque é só me dizer que não beija que eu já pego NOJO DA CARA DO HOMEM. Aliás, homem com nojinho tem tudo de broxante!

Beijos de luz, de quem não fez nada, desfilou pelo hotel, entrou e saiu em 15 minutos, recebeu o valor da hora e, como sempre, sem perder a DIGNIDADE! 

Cláudia de Marchi

Nenhum comentário:

Postar um comentário