Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Como me abordar e tomar um fora/ Como mostrar-se um misógino preconceituoso que não diferencia cortesã de luxo de garota de programa/ Como me afugentar por falta da conjugação correta do verbo com o sujeito/ Como ser um perfeito otário narcisista que pensa com o pênis: uma pequena grande crônica com prints.

Como me abordar e tomar um fora/ Como mostrar-se um misógino preconceituoso que não diferencia cortesã de luxo de garota de programa/ Como me afugentar por falta da conjugação correta do verbo com o sujeito/ Como ser um perfeito otário narcisista que pensa com o pênis: uma pequena grande crônica com prints. 

Prezados homens, deixem seus pênis dentro das calças, sentem aqui com seus respectivos cérebros na cabeça e vamos conversar. 

O que leva vocês a pensar que acompanhante de luxo/cortesã de luxo tem a mesma classe, nível e postura que garotas de programa? Os sites? As mulheres que anunciam-se como acompanhantes, mas, agem como prostitutas atendendo telefonema a qualquer horário e dispondo-se à tudo para satisfazer apenas ao homem e amealhar alguns reais? 

Bem, azar de vocês, está mais do que na hora das generalizações findarem, aqui, neste ofício que eu ESTOU POR DELIBERADA ESCOLHA e, em tantos outros, afinal, a limitação intelectual do brasileiro é a porta de entrada para preconceitos vis e toscos. 

Vejamos o cidadão abaixo que me abordou ainda nesta semana:



Eu nunca, nunca, nunquinha, jamé, jamais, never teria um encontro com um cidadão grosseiro e sem classe como este. Gente, eu cobro bem, não me importo de ter uma média de lucro de R$ 1.200,00 por dia quando poderia ganhar o dobro! 
Eu quero é qualidade, quero ser a Cláudia que sou: solta, livre pra gozar e me sentindo bem ao lado do cliente, porque ele foi assertivo desde o telefonema até o contato no whatsapp.

E, o que dizer do cidadão abaixo?
Bastaria ter lido meu site antes de mandar mensagem quase às 04 horas da manha!

E ele me encontrou onde? No melhor site da cidade onde, pelo visto, existem mulheres que ele chama de dispostas à tais festinhas. "Festinhas"/Orgias que nem por um milhão de reais eu participaria! A minha dignidade não tem preço!
Viram o que ele escreveu 5 minutos após mandar o abjeto convite? "Li com atenção"... Este tal de ler com atenção salva o ser humano de muitas coisas. De fazer papel de trouxa, por exemplo. 
Mas, ainda assim, o "tarado da festinha" se redimiu à tempo e ficou com um educado vácuo. 
Tem, também aqueles que "leem" muitas matérias sobre mim, ficam curiosos, mas não tem sequer a habilidade intelectiva de acessar o meu site. 
Site este cujo endereço esteve em todas as entrevistas que dei! Reparem a tristeza travestida de mensagem enviada no NADA EDUCADO horário das 02 da madrugada:


Eu tenho um site. Eles não leem. Educação? Fineza? Onde? Eu poderia estar ganhando muito, muito dinheiro se eu atendesse metade dos homens que me procuram, mas eu exijo consideração, exijo inteligência e capacidade de distinguir uma profissional da outra. 

Gosto de homens educados, politizados e cultos e quem tem este tipo de abordagem ou um péssimo português, certamente, não tem cultura e nem é letrado. Eu "passo", mas a dignidade eu não perco. Abordagem desrespeitosa, seja pelo horário ou questionamentos? Comigo não!

E este cidadão mal alfabetizado que me aborda de madrugada? Estava eu na madrugada de segunda-feira saindo de um encontro perfeito num hotel com um lord que já é meu cliente, relaxada depois de 2 horas de intensos orgasmos e me deparo com um cidadão que não sabe conjugar o verbo com o sujeito? Ah, não, me poupe, se poupe e nos poupe!
Não saber falar e escrever direito subentende falta de leitura E EU SOU A CORTESÃ DOS HOMENS LETRADOS. Só destes.


"O brasileiro tem um dos piores ensinos do mundo e é analfabeto funcional em sua maioria". Não me diga?! Eu tenho provas diárias destes fatos ou ainda não deu para reparar que a falta de respeito em horários e perguntas toscas é pura e tão somente derivada da falta de leitura, digo, da carência de compreensão do que se lê?! 

Homem acha que porque você colocou preço na sua hora vai atender a qualquer hora ou a qualquer um. Homem! Um "bicho" que, em sua maioria, é elogiado ao ser chamado de "humano", afinal a inteligência foi parar aonde?!

E aquele que chama no sábado pela manha, com toda a "pinta" de quem já leu seu site, as matérias midiáticas em que saiu e deseja marcar, mas, após, pede o valor? Eis um exemplo:


Custa o que ler, gente? Chamar depois de ver qual é o "estilo" da acompanhante? Custa o que? Ter um cérebro?

Cidadão de "inteligência mediana" precisa ser instruído até para aferir informações com acompanhante de luxo, vejamos:



E os viciados no abjeto termo "delícia"? Um aviso estes termos ditos fora dos momentos de intimidade tem 100% de eficácia como método contraceptivos e, principalmente, na prevenção à DSTs: "bom dia amor", "agente pode se ver?", "oi gata/gatinha", "gostosa", "oi belezura", "já lhe falaram que você é linda?", "deusa", "amada". 



Outro parcamente educado e elegante para o qual eu tive que "desenhar" a razão pela qual desprezo quem fala "programa":
Você deve falar cachê, "valor do encontro", "honorários" (trocadilho com minha antiga profissão, coisa que só homens inteligentes, bem informados e humorados fazem), "valor para desfrutar da minha companhia", enfim, HOMENS: vocês estão lidando com uma mulher culta que faz sexo devassa e intensamente, mas que não tá nem aí só na grana. 

Se você não souber me "cortejar" na forma de abordar, lamento, será uma resposta ríspida o suficiente para ver se você recupera a noção de educação e se desfaz de seus preconceitos toscos e um bloqueio. Simples assim. 

Eu não preciso do seu dinheiro, macho grosseiro, misógino, egoísta e que acha que acompanhantes de luxo "topam" tudo só porque você irá pagar o que é cobrado. Só porque a maioria delas é do seu "naipe". "Aqui" não, comigo não. 

Pra ter minha doce, devassa e educadíssima companhia (leiam os comentários no site do Belas 61 e a crônica sobre a descrição do meu encontro que aqui se encontra), primeiro o homem tem que mostrar que é cavalheiro, educado, gentil e respeitoso.

E sobre o respeito a horários está lá no meu anúncio do Belas 61, mas o homem pensando com o pênis após ver as fotos não lê. Deve pensar: "puta é tudo igual, vou mandar um zap" (aposto que eles falam zap). Não, eu não sou. Leia o depoimento dos meus clientes, o meu diário e engula o choro por ser babaca e desrespeitoso.

Eu sou uma lady, muito educada, fina, amável e gentil, mas serei grossa sim toda vez que perceber que o homem não me trata como gosto. Digo e repito: estou nessa profissão, porque desejo estar e só saio com quem me parece gentil, fino e educado na abordagem. E, se você parar para ler este site e meu diário, verá que eles são muitos. E sempre me procuram. Ou seja, ainda existem lords neste Brasil! Homens que sabem a hora de serem safados e a hora de serem elegantes! É desses que eu gosto.

Cláudia de Marchi
Brasília/DF, 09 de dezembro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário