Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

5ª feira de abordagens broxantes! Top 4 das piores "abordagens" da última semana do ano!.

Boa tarde gente linda!

Eis que minha tia que está passeando viaja amanha.

Neste dia fui contatada ao telefone e whatsapp por pessoas sem graça e que, aparentemente, não conseguem ler o anúncio em que encontraram minhas fotos e número antes de ligar, menos ainda entrar no seu site!

Nossa, que coisa lamentável o analfabetismo funcional, nada me "broxa" mais! Perco dinheiro, mas não a dignidade em ter na minha cama e me comendo um homem sem a mísera capacidade de interpretação de texto e leitura. 
Basta acessar meu anúncio para ver o quão conciso eu o deixei e, praticamente, enumerado o que faço e gosto de fazer, mas, ainda assim, não tem jeito! Que horror!

Vejamos as 4 abordagens mais sem educação, classe e fineza desta última semana do ano, sendo duas delas na data de hoje!

1- Cidadão querendo marcar. 49 anos. Pedi foto. Recebi. Achei "tolerável". Já fez elucubrações se "acaso eu gostasse" do sexo com ele. E, antes de ficar uma hora comigo e me conhecer, vem querer colocar preço no meu trabalho, no meu tempo?! Ha-Ha-Ha! Ohhh, seu besta! Como dizemos no RS: "Sai daqui" e vai encontrar a vergonha na cara perdida com a placenta (R$ 2.500,00 por dia é meu menor preço pra ficar um mísero dia fora de Brasília!).
2- O masoquista. 

3- Para esse sem fineza a minha resposta encerra o "assunto".

4- O que não lê anúncio e quer "narrativa" de encontro.  "Explicar como é o atendimento", seria o que? Desenhar? Fazer um tutorial de como se faz sexo, afinal o que eu faço está no anúncio do Belas 61, seria, pois, necessário enumerar com figurinhas, tipo em gibis? Vou pensar na ideia!
(Vide tutorial "Como é o seu atendimento? e outras perguntas sem graça."


Dizem os misóginos: "Ah, mas que chata/arrogante/fresca/grossa/ estúpida/puta exigente, que tipo de homem ela atende afinal?".

Ah, vários! Os polidos, os educados, os que tem classe e isso a gente percebe na conversa ao telefone e na forma de abordar (Fica a dica para as novas no meio!). 

Seguem apenas dois exemplos, sendo que o primeiro é assíduo desde a primeira vez que veio e passamos um final de semana em Rio Quente/GO recentemente:

1- Conforme dito, dispensa comentários a educação do jovem e lindo homem!



 2- Este ainda não atendi, mas pretendo fazê-lo amanha ou muito em breve!



Enfim, terminei pedalando 1h30min nesta quinta-feira, li, ouvi música e assisti a filmes. 
Amanha pela manha pretendo ir fazer as unhas no shopping e comprar uns cremes para a pele, à tarde, a priori, tenho dois clientes para atender, um deles assíduo que esteve um tempinho distante e que sempre fica 1h30min.! 

Beijos de luz!

P.S.: Tem sempre seguidores, no instagram ou face que vem com o mimimi: "Eu não gosto das tuas postagens feministas, anti-religiosas, políticas e daquelas debochando dos caras mais bobinhos, que escrevem errado e são inconvenientes na 'abordagem', que te procuram". Legal, fera! E eu não gosto de opinião não pedida. De homem sem cavalheirismo e boa educação. Logo, que tal parar de me seguir nas redes sociais? De ler meu blog, sobretudo? Enfim, de acompanhar a minha vida, afinal, convenhamos: eu nem sei e nem me interesso em saber sobre a sua pessoa, menos ainda sobre as suas tacanhas ideias a meu respeito.

P.S. 1: Não quer virar print? Me trate com respeito e não como um pedaço de carne acéfalo cujo preço tem que se moldar à sua parca situação econômica ou que deve ser "doce" e "meiga" para caras cuja foto assusta e cujo português e parca educação apavoram! 
Eu sou um doce, com quem me respeita! Just it!

Nenhum comentário:

Postar um comentário