Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 4 de dezembro de 2016

Segunda-feira que "despertou" extasiante com orgasmos intensos e um cliente encantador e gostoso ao extremo!

02h da madrugada, cheguei em casa.
Vou ao toalete, me olho no espelho, estou rubra. 
Não sei mais, porém, se de tanto me esfregar na barba rala do cliente adorável com quem passei duas magníficas horas, se de tanto gozar na cama com ele de todas as formas imagináveis ou se de chateada, pois ele ficará uns meses sem vir à Brasília. 
O rubor externo, concluo, se deve ao primeiro fato. Acho excitante ao extremo os beijos que ele me dá, a forma como chupa meus seios e me faz gozar com os dedos. 
Como me faz gozar na sua boca, como lambe meu cu comigo de costas e me masturba. Isso acentua meu lado felino: quanto mais tenho, mais quero, mais me esfrego.
Ele me recebeu com um vinho californiano delicioso, conversamos, colocamos a conversa em dia, rimos, relevamos o mau atendimento dos taxistas e etc.. 
Tão logo começamos a nos beijar eu abri meu macacão, ele chupou meus seios doce e vorazmente ao mesmo tempo, me despi inteira e ele também. 
Me fez gozar muito, então consegui satisfazer o meu desejo de abocanhar seu lindo pau! Coloquei-o todo na minha boca sentindo-o na minha garganta. 
Não resistíamos quando ele colocou a camisinha. Sentei nele e gozei...e gozei...e gozei incontáveis vezes! Depois ele ficou sobre mim, após tornei a sentar naquele pau gostoso onde me derreti inteira.
Por fim, ele colocou o pau no meu cuzinho que estava desejoso e molhado de tanto gozar! Acabou gozando ali.
Após, bebericamos o vinho um pouco mais, conversamos e tornamos a nos tocar. Enquanto ele me masturbava eu disse que eu gozava nos dedos dele imaginando o pau dele na minha garganta. A seguir tornei a chupá-lo.
Colocamos o preservativo e recomeçamos. Desta vez trouxe ele para cima de mim, gozei intensamente e terminei trêmula como, acredito, ainda estou. 
Enfim, posso dizer que está semana começou extasiante!
Agora vou dormir, afinal, sono "em dia" faz bem pra pele, não somente o sexo e, após minhas últimas duas horas, certamente dormirei angelicalmente.
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário