Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 11 de dezembro de 2016

Sobre ser "dura" com os imbecis e doce com os que se tornam meus clientes fiéis.

Ontem pela manha verifiquei no meu celular os contatos feitos pelo www.claudiademarchi.com.br e li apenas o início de um: o acéfalo me chamava de "gata" e dizia que eu estava com "muito rancor no coração" e com "7 pedras nas mãos" contra os homens que me abordavam.
Obviamente, não perdi meu tempo lendo além da quarta linha, menos ainda respondendo àquele pobre ser humano analfabeto funcional, como tantos que me abordam.
Acho que a ex-presidente Dilma andou dizendo por aí que o homem com autoridade é o cidadão "forte", a mulher é "dura", pois eu concordo. Aquele e-mail que li não passava de pura misoginia brochante de baixo nível. Afinal, na minha área eu tenho plena autoridade para dizer: "este sim, aquele não". Só os machistas que acham que apenas o dinheiro compra uma cortesã de luxo pensam que não. Os idiotas. Os incultos. Os toscos. Os tolos. Jamais aqueles que me chupam deliciosamente bem!
Se eu, Cláudia de Marchi, estivesse "sempre com 7 pedras nas mãos" eu não teria os adoráveis clientes que tenho, menos ainda o meu rendimento mensal. 
Sim, eu recuso homens. Sim, sou ríspida com eles, mas não sem antes me sentir um objeto de quinta categoria nas mãos (virtuais, claro!) de seres humanos que não se prezam nem para ler um perfil de quem desejam ter ao seu lado por algumas horas. 
Será que custa muito para o homem perceber que a acompanhante que eles contratam pode lhe transmitir, voluntariamente ou não, doenças? Pode ser uma doente mental e criar apego? Pode estragar suas relações interpessoais? Sim, prezado, pode! Assim como pode roubar seus documentos, seu dinheiro, seu cartão. Logo, custa o que ir além das fotos? Custa o que não ser um mero tarado iludido por imagens?
Vejam, a título exemplificativo, o discurso do cidadão abaixo:











1- Se eu faço pernoite, por que não ter um encontro de 4 horas? 

2- Eu engulo o esperma sempre. Não imagino sexo oral sem engolir, falo isso em 98% do meu diário, basta ler 1 ou 2 textos, logo, o que o miserável chama de "fantasia" é corriqueiro pra mim e ele saberia se não tivesse só olhado as minhas fotos. 

Eu sempre digo que gosto daqueles homens que leem e vêm até mim cientes do que gosto e faço! E é por isso que dificilmente eu recebo homens ruins de cama ou egoístas (aliás, isso não ocorre há uns 5 meses! Estou recebendo homem um tão excelente quanto outro).

Só ver fotos é pura ilusão! Afinal, nas minhas fotos não há photoshop, mas nas de 99% das acompanhantes de luxo e garotas de programa há! Então, por que ser tão frívolo e tolo?

Eu não sou dura e menos ainda tenho "7 pedras nas mãos", basta chegar à mim objetivamente, com cavalheirismo, inteligência e respeito e terás toda a minha infindável doçura. Fora isso, me desculpe macho, mas o que você chama de "rancor" e "grossura" eu chamo de franqueza e auto-defesa contra a ignorância e a estupidez humana. EU CHAMO DE EXIGÊNCIA POR RESPEITO. Por quê? Porque não gosto de gente ignorante, estúpida, mal instruída, pouco letrada e inculta. Não gosto de homem que estigmatiza todas as acompanhantes de luxo como iguais "nivelando-as" por baixo, inclusive.

É um direito meu exigir o que me excita. Sapiosexualidade, já ouviu falar? Atração e tesão por pessoas inteligentes? Eu tenho. Agora, não venha me fazer passar por "maldosa" só porque eu lhe dispensei, só porque eu fui grossa com quem me chamou de madrugada, com quem não sabe conjugar verbo com sujeito, com quem tendo o endereço do meu site na "fuça" não acessou e resolveu me ligar ou chamar no whatsapp fazendo papel de analfabeto. 
O corpo é meu, quem gosta de foder sou seu, mas eu seleciono sim, problema é seu se isso lhe ofende! Meu coração é cheio de luz, alegria e amor, todavia, sou mulher e não sou obrigada a aguentar homem besta me cercando. Me chamando de "gata", "delícia" e etc.. 
Cada pessoa gosta e exige respeito da forma que lhe apraz e a minha é assim: bem direta e objetiva que é para analfabeto funcional algum se fazer de desentendido. 
Agora, experimenta ser educado e demonstrar inteligência comigo! Você vai ver o que é uma amável, doce e linda lady de coração e pernas abertas para você! É isso que os meus clientes tem, meu caro! Dos outros, dos grosseiros, burros e indecentes eu quero é muita, muita, muita distância.
Cláudia de Marchi
Brasília/DF, 11 de dezembro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário