Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 8 de janeiro de 2017

Duas horas do mais extasiante prazer num sábado cheio de contatos egoístas e narcisistas!

Boa noite gente linda!
Ontem eu estava exaurida, mas hoje já posso escrever!
Tive um encontro de duas horas no início da tarde de sábado com um homem sexy, charmoso, lindo, solteiro e bem resolvido! Daqueles que, assustadoramente, só trocou afinidades prováveis comigo, especialmente por ser meu vizinho e me ter feito alguns convites que aceitarei, tão logo eu retorne de Balneário Camboriú, onde estarei de 13 a 17 de janeiro próximos!!
Tive um sábado excelente!
Bem, ele chegou, lindo, alto, sarado com uma bermuda exibindo pelas pernas, beijou-me da cabeça aos pés! Me fez implorar para ele parar de me chupar antes que eu tivesse uma síncope!

Me penetrou com camisinha de uma forma "animalescamente doce"! Gozou assim como eu, ou melhor, nem tanto quanto eu! 

Seguimos dialogando sobre a vida e seus reveses, ilusões e "faz de conta", o que vi muito ultimamente! 

Me trouxe bombons Linder e uma pulseira da Vivara de presente, todavia terei que trocar pois já tenho uma (Pandora). 

Enfim, após ficamos num anal delicioso que me fez gozar a ponto de lavar o chão e ele gozou. Praticamente me pediu em casamento, mas pulemos está parte. Risos...

Pulada a parte boa do meu sábado, vejam os contatos que educadamente, devo acatar, inclusive do demente que mandou foto do seu pintinho, bem de perto para ele parecer maior e menos ridículo! 

Como se eu precisasse destas fotos horrendas, nojentas e brojantes para atender alguém! Cérebro cidadão, é isso que você deve exibir pra me dar tesão!!!!!!!

Nossa, que falta de fineza!


E o cara com quem nunca transei, nunca vi ou toquei e já me pediu em casamento duas vezes? Afff! Haja paciência!


Ah, tem o que "quer falar", "precisa falar", como se eu tivesse saco para contato NADA OBJETIVO! Detesto estes!

Tem época que penso que, na época de Cristo eu era aquela que falava "Barrabasmito"! Vejam bem: 1- Cidadão usa um dialeto que desconheço; 2- objetividade zero; 3- quer falar? Telefona para um amigo; 4- quer "trovar"? Entra no Tinder; 5- necessita de aulas para entender sarcasmo com urgência! (Deus castiga quem pode dormir sábado de manhã e acorda pra fazer papel de trouxa!)



Da série: vai chupar um prego até virar taxinha!



Bem, ontem tive duas magníficas horas de sexo além de leituras, filmes e passeio! 

Ah, e conversas de alto nível com um intelectual de alto nível, vejam:



Eu sou um doce, amo fazer sexo, mas não recebo adicional de insalubridade por lidar com analfabetos funcionais e ignorantes, logo, nem todos tem de mim a minha doçura, parcimoniosidade e tranquilidade rotineiras!

Quanto ao resto do meu sábado, foi esclarecedor, lúcido e maduro!

Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário