Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Segunda-feira de folga e Delegacia da Mulher.

Eis que tive uma segunda de folga, basicamente dedicada à depilação, organização de algumas tarefas antes da minha viagem para BC/SC dia 13/01 e, também, ida à Delegacia da Mulher para prestar depoimento acerca dos stalkers que me perseguiram de forma ridícula há alguns meses.

Terminou que ao chegar em casa já organizei a papelada para registrar, quarta-feira, o boletim de ocorrência com pedido de exclusão do nome Simone Steffani, e posts a seu respeito, ainda que elogiosos, bem como das postagens injuriosas, difamatórias e inverídicas postadas por homens que nunca atendi no site denominado GP GUIA em meu nome "civil". 

Obviamente o foco será o próprio site e não os incultos coitados que lá manifestam sua misoginia por falta de culhões, respeitabilidade ou dinheiro para bancar uma cortesã de verdadeiro alto luxo. 

Ademais, por ter recebido apenas e tão somente contatos incrivelmente toscos, tanto por whatsapp como por telefone, me dei folga nesta segunda, porque uma conta bancária farta, não vale a minha dignidade e o meu prazer! Jame!

Beijos de luz gente linda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário