Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Sobre um pernoite regado à múltiplos orgasmos, incluindo masturbação no restaurante!

Bom dia gente linda!
Ontem o meu cliente solteiro, gato e gostoso que atendi uns dias antes de ir viajar voltou!
Ficou comigo à tardinha por cerca de uma hora e resolveu combinar um pernoite para ontem mesmo do qual acabo de chegar.
Como ele tinha compromisso, buscou-me por volta das 22 horas e fomos jantar no hotel que ele resolveu me levar. Em que pese resida sozinho eu falei que me sinto mais confortável e segura em hotel, ainda que eu já tenha lhe atendido por algumas horas recentemente. 
Como um bom lord que é, escolheu um dos melhores hotéis da cidade e nele a melhor suíte para termos uma noite especial! 
Nosso jantar foi regado a um excelente vinho californiano, alguns beijos e carinhos indecorosos. Ele me masturbou discretamente no restaurante do hotel. Ficamos num cantinho, lado a lado e o local estava praticamente vazio. 
Enquanto eu não gozei intensamente duas vezes na mão dele, ele não parou de me tocar com aqueles longos e belos dedos! A seguir, discreta e elegantemente, fomos para a suíte
Nos beijamos muito ardorosamente antes de ele abrir o zíper do meu vestido, ajoelhar-se, tirar meu sapato e chupar os meus dedos de forma insanamente gostosa. 
Tentei ir rumo ao corpo dele para abrir a calça e a camisa que vestia, ele me chamou de "moça afoita", pediu-me calma, empurrou-me para trás e me chupou por muito, muito tempo e me fez gozar incontáveis vezes até permitir que eu abrisse o zíper da calça e o chupasse com veemência e desejo! 
Excitadíssimo que estava, terminou gozando na minha cara e na minha boca, numa daquelas cenas deliciosamente indecorosas que eu, particularmente, adoro. 
Pedi-lhe que limpasse seu gozo colocando o que ficou ao redor da boca dentro dela e ele obedeceu, chupei seu dedo enquanto fazia isso. Segundo ele, nunca ficou excitado tão rápido! Fazendo isso o pau dele endureceu novamente, nos beijamos muito, ele pegou a camisinha e veio por cima de mim. 
Depois de eu gozar em tal posição, colocou-me de quatro e seguiu comendo minha buceta. Fez-me jorrar, então colocou no meu cuzinho e tão logo me contraí ele gozou de novo! Uau!
Fui com uma bolsa grande onde levei uma camisola e meus "utensílios" de higiene e perfume. O que costumo levar é um Miss Dior pequenino. Fui tomar um banho, escovei os dentes, vesti minha camisola e ao chegar no quarto ele estava dormindo, acordei-lhe com um beijo e ele me abraçou. 
Segundo ele adormeci, ele me colocou de lado e foi ao toalete. Voltou, sem querer me acordou e dormimos. 
Pela manha, ele me acordou beijando minhas costas, abaixou e começou a me chupar! Normalmente eu gosto de acordar o parceiro chupando-o, mas desta vez fui surpreendida! Deliciosamente surpreendida! 
Todavia, disse para ele deitar e fizemos um 69 que terminou com múltiplos orgasmos meus na boca dele e uma jorrada dele na minha boca.
Tomamos um banho "comportado" juntos e voltamos para o quarto, todavia nos beijamos e foram toalhas voando para os lados! Recomeçamos e desta vez ele me masturbou enquanto me beijava, alcancei-lhe o preservativo e enquanto eu chupava seu saco ele colocou, cavalguei sobre ele e gozei muito... Após sentir-se todo molhado meteu com mais força e gozou de novo.
Gozou a ponto de ficar tremendo por um bom tempo! Fomos tomar café, eu mirei no bacon e ele nas comidas fitness (Risos...), nos divertimos, conversamos um monte, então ele me deixou em casa e foi para o trabalho realizado da vida!
Agora vou descansar, pois tenho um retoque de tatuagem à tarde e, quem sabe, um novo e adorável pretenso cliente com quem conversei ontem à noite antes de sair com o cliente com quem passei à noite!
Beijos de luz! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário