Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quinta-feira, 9 de março de 2017

Livre, sincera, feliz e doce- mas só goza de meus atributos bons quem EU quero!


"Ela se intitula como cortesã, isso é termo rebuscado pra puta. Ela é puta, só mais uma puta. Eu prefiro as vagabas tradicionais, pra que ser culta se é puta?!" Cavalheiro, senta aqui, vamos conversar: em boca de misógino sem classe (do seu naipe) até mulher que nunca transou é puta! Basta não lhe querer, basta, no caso das cortesãs, ser cara, politizada, inteligente, seletiva ou, apenas, empoderada e donas das SUAS próprias vontades, sem ter que "pagar pau" pra macho escroto e grosseiro (como você). 

Eu tinha tido 2 namorados antes de conhecer um cara e quando eu o deixava ele me chamava de "vagabunda", "puta", "ingrata" e etc.. Ademais, além de seletiva ao extremo eu não transo de graça, parça, não achei a pepeka no lixo! 
Já pensou se me iludo e transo com um cara mentecapto como você? Que desgraça, seria (deusmelivre!)! O cache cobrado é auto-indenizatório, afinal ninguém está livre de se enganar com outro ser humano e terminar jogando pérola a porco. 
Eu mesma já fiz isso quando era "doutora advogada" e professora universitária e, recentemente (pasmem, eu também fui capaz de cair em engôdos de gente sem coragem, brio e falsa), com um sociopata com cara de santo que me tirou pra "conselheira matrimonial", se fez de pseudo-fã e foi capaz de me omitir, inicialmente, até eu descobrir via uma patética mensagem de amor da esposa no Face dele, que ele tinha mulher (colega de profissão dele, trabalham juntos, inclusive) e dois filhos pequenos, aos quais, segundo me disse se arrependia de ter tido, apesar de seguir a pressão social e bancar o "bom pai", pois não queria ser como o pai dele foi com ele e o irmão (diagnóstico: cidadão precisa de terapia urgentemente!) colocando TODA A CULPA pela falta de libido da esposa (que, segundo ele, nunca soube sequer fazer sexo oral direito, pois cuspia fora), NOS PRÓPRIOS FILHOS. 

Durante um tempo eu engoli a "bela" explicação de indulgência à falta de tesão da amada do menino (sim, maturidade de um piá), mas, passado algum tempo, tenho que deixar um "aviso aos navegantes", até porque convivo com muitos outros homens casados e tenho amigas muito bem resolvidas e cheias de rebentos: mulher que gosta de sexo e do marido não muda da água para o vinho só porque casou e pariu, aliás, ela procurará oportunidades e transará loucamente com o amado marido! Isso se ainda o desejar, claro! 
Enfim, fato é que, provavelmente você misógino brochante sequer passaria na seleção que faço para, entre quatro paredes (preferencialmente) soltar a (aí sim, cabe o termo!) "puta" feliz e tarada que se esconde por trás de minhas elegantes vestes e do meu intelecto culto e privilegiado! 
Ah, e você mocinha que adora chamar as outras de "putas", "piriguetes" e afins saiba que haverá o dia em que a sua liberdade vai incomodar alguém mal resolvido e você será chamada de "vagaba". Sim, você, você aí que se acha a rainha da "pureza"! 
Outra pérola dos recalcados: "Ai, você é grossa com os caras que lhe abordam...", não querido, eu não sou! Sou um poço de finesse com quem é educado, fino e escreve em bom português. Com quem me aborda demonstrando respeito e valorização, não como se eu fosse inferior pelo fato de ter escolhido viver alegremente tendo orgasmos e faturando dinheiro honesto com isso (como meus clientes aferem seus rendimentos o problema é do Fisco, não meu!). 
Tenho clientes por aí, indague a todos que voltam até a mim se eles já ouviram alguma "grosseria" saindo dos meus belos lábios: never, nunca! Nunca sou grossa com quem de fato recebo e para quem me dispo de roupas e pudores! 
Eu sorrio pra vida, gargalho, dou risada, conto piadas e só me afino com gente de alma jovem e espírito alegre, porque se amargor me apetecesse eu tomaria chá de losna! 
Quer me acompanhar? Engula seus recalques, seus mimimis, seus preconceitos, sua mania tosca de reduzir seres humanos à visão tacanha que você tem deles sem muito ou "nada" conhecer-lhes! Engula sua amargura e complexos, porque eu só me afino com gente feliz e em paz com a própria consciência! Obrigada.



Cláudia de Marchi
Brasília/DF, 09 de março de 2017.

2 comentários:

  1. Conheci seu trabalho pela matéria que saiu recentemente no portal russo Sputnik e minha curiosidade foi aguçada. Lendo essa postagem apenas, estou vendo que virarei fã de carteirinha desse blog.
    Tenha uma ótima quinta! ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que honra! Tem de tudo por aqui! Ótima sexta prezado e querido fã!

      Excluir