Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sábado, 18 de março de 2017

Pernoite sexualmente insano, intenso e multiorgástico!

Boa tarde gente maravilhosa, bem resolvida e feliz a vida!

Acabo de chegar de um pernoite mágico que se estendeu de ontem às 19h até agora às 16h!
O cliente muito bonito, galante, educado e divorciado há alguns anos (apesar de super jovem) já é meu conhecido de longa data, na verdade, ele esteve dentre os 12 primeiros. Lembram? Os que eu ainda contava... Risos... Na verdade, a exceção de 2 ou 3 todos os 12 primeiros continuam assíduos.
Cheguei, nos beijamos muito, ele me despiu e terminamos gozando um na boca do outro num "frenético" 69! 
Decidimos tomar uma ducha e descemos jantar no restaurante do hotel e, após, subimos. Ele me pediu se eu havia levado biquíni para tomarmos banho de piscina acaso tivesse sol no dia de hoje, respondi que sim foi quando computamos as horas e ele me fez uma TED programada para segunda-feira, como costumamos fazer sempre.
Após nos beijamos e fomos até a sacada do apartamento, ele ergueu meu vestido, se abaixou e me chupou ali mesmo, entrou e pegou sobre a mesa uma camisinha e comeu minha boceta ali mesmo, após, pedi para ele comer meu cuzinho e ele enfiou de uma vez, pois a camisinha estava toda molhada. 
Gozei a ponto de escorrer no chão! A situação em si era excitante e propiciava orgasmos intensos, graças ao risco de alguém, de outros apartamentos nos verem (adoro isso!). Bem, se alguém viu, ficou feliz e não reclamou. 
Depois de umas boas estocadas no meu rabo ele gozou, tirou a camisinha, eu me abaixei e limpei a porra que ainda havia no pau dele, para deixar claro a quem eventualmente tivesse assistido, que não estava "enganado" quanto ao que ali ocorrera. 
Entramos e tomamos um banho juntos. Ele desligou a ducha, me chupou e me masturbou até eu gozar pela "enésima" vez! Acabamos nosso banho, ele de pau duro, chupei-o quando chegamos ao quarto até ele gozar na minha garganta.
Dormimos praticamente desfalecidos. Acordamos tarde, mal consegui chupá-lo, ele viu o horário e decidimos descer para pegar o final do horário do café da manha. Comemos, subimos ao quarto, ele me jogou na cama e me chupou e masturbou, tirou a calça e pediu para eu ficar sobre ele e repetimos o 69 do dia anterior.
Gozamos muito! A seguir, apesar de haver mormaço mais que sol, descemos à piscina conversar e nos curtirmos mais um pouco. 
Beijos dentro e fora da água! Nossa, as pessoas se chocam! Os casais parecem que esquecem de beijarem-se na boca depois de algum tempo de relacionamento, de forma que até beijos com duas pessoas vestidas (antes de entrarmos na piscina: ele calção, eu saída de banho preta e discreta) atrai seus olhares de reprovação (ou seriam invejosos?).
Ficamos um bom tempo nadando, brincando, conversando sobre tudo um pouco, de política à inconstitucionalidades, de psicanálise à cinema, de Fernanda Lima à Regina Navarro Lins, de Montesquieu à Alexandre de Moraes e por aí a fora! O papo estava tão excitante intelectualmente que resolvemos voltar ao quarto pra foder mais.
Transamos por uma hora e meia, sem sombra de dúvidas. Chupei-o inteiro, inclusive com beijo grego, ele chupou minha boceta, meu cu, engolia meus squirts, colocava camisinha, metia no meu cu, tirava, eu o chupava, colocava outra e metia na minha boceta...
Até que, mesmo com a temperatura do ar condicionado baixíssima, lavados de suor, ele tirou a camisinha e gozou na minha boca e no meu rosto. Depois, com seus dedos másculos meteu aquela porra que estava no meu rosto na minha boca, me deu seus dedos para chupar e me deu um beijo quentíssimo!
Ele continuou no hotel, para um compromisso que teria mais tarde, eu, porém, tomei uma ducha, vesti-me, ele chamou o Uber para mim e eu cheguei em casa. Pernas moles, mente relaxada, pele reluzindo beleza e sorriso de orelha a orelha.
Agora seguirei com as leituras que ficaram para trás desde ontem à tarde e serão úteis num Café Filosófico que farei em Balneário Camboriú sábado que vem! Ah, estarei em Jurerê Internacional da noite do dia 23 até a manha do dia 28/03! 
Beijos de luz gente linda!
P.S.: Ah, por falar em Regina Navarro Lins, tendo em vista que tanto eu quanto o cliente com quem fiquei somos libertos mentalmente, coloco aqui, para fazer pensar, um post meu feito ontem no Instagram (@claudemarchi2):




Nenhum comentário:

Postar um comentário