Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sábado, 22 de abril de 2017

Duas magníficas horas cheias de gozo e alegria!

Bom dia! (Escrevo do celular, vez que meu note ainda não voltou!)... 
Eis que fui contatada por um pretenso cliente brasiliense que há praticamente 6 meses vem acompanhando este site, todavia, apenas agora conseguiu tempo para desfrutar da minha companhia. 
Aliás, sobre isso, um parêntese: não é a primeira vez que ouço. É incrível como o ser humano dedica-se ao máximo ao trabalho (que às vezes nem gosta), em prol do dinheiro e acaba não tendo tempo para usufruí-lo. Perde-se vida, enquanto tenta-se ganhá-la. 
Alguns prazeres são impagáveis, dentre eles incluo horas da minha companhia, do meu humor, da minha inteligência e taradice incontida. O valor destes momentos são impagáveis, o preço é colocado, porque está é a forma com que eu me sustento na vida. Há um preço, mas não se estima o valor de, num mundo tão fútil, cheio de pessoas andando na linha da hipocrisia, do banal e do intelectualmente simplório, poder usufruir de uma companhia autêntica. (Risos...modéstia a parte, franqueza em "alta"!).
Enfim, voltando ao novo cliente! Marcou duas horas comigo no meu apartamento para me conhecer melhor. Chegou pontualmente e surpreendendo: mais bonito do que na foto, alto e forte. Simpático, lindo sorriso! Conversamos um pouco frente aos meus gatos na sala, antes de virmos ao meu quarto. Ele estava tenso, mas me adorou! Achou-me mais bonita pessoalmente. 
No quarto, beijei-o ainda de pé. Ele agarrou minha cintura, beijou-me com certa paixão! Senti ele excitado e fui me excitando mais, ele achou o zíper do meu vestido e abriu. O vestido caiu, então ele me colocou deitada na cama, ajoelhou-se na beirada e me chupou! Gozei, gozei inúmeras vezes! Após ele me colocou de quatro e lambia meu cu, enquanto masturbava minha boceta. Fiz alguns squirts e ele fez questão de lamber a mão gozada. Depois de um tempo me fazendo gozar eu o chupei! Ele estava morrendo de tesão e terminou por gozar na minha boca! Gozou muito! 
Após, deitamos e ficamos conversando, rimos muito, ele me abraçou, me tocou e voltou a me beijar! Correspondi em intensidade e já estava excitada de novo! Ele me chupou mais e dessa vez fui sobre ele num tradicional 69. Assim ficamos até ele tocar no meu cuzinho e me fazer gozar até pedir pra ele comê-lo. Alcancei-lhe a camisinha e ele meteu na minha boceta. Gemeu forte quando apertei-o dentro de mim! Gozei até meu cu estar molhadinho, virei de costas e pedi pra ele meter. 
Me comeu deliciosamente gostoso, fez eu lavar os lençóis no anal até que gozou me pegando de quatro! Foi uma delicia! O encontro foi fenomenal. Após tomamos um banho juntos e em seguida ele voltou para a sua realidade, enquanto eu continuei na minha! Um bom resto de final de semana a todos!
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário