Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Síntese da mini, porém orgástica semana (ainda sem notebook)!

Eis que apenas hoje tive um parecer acerca do meu notebook! E nada de orçamento, ainda! Resolvi porém, contar-lhes um pouco da minha semana, ainda que do celular, o que prejudica configuração do texto e etc.. 
Bem, segunda-feira no início da tarde um homem charmoso e educado me chamou no WhatsApp. Pediu se eu estaria disponível às 23h30min, disse-lhe que sim, porém não para recebê-lo no meu apartamento, apenas em hotel. Ele pediu o número da minha conta, fez uma transferência do valor de duas horas e, após pedir referências de hotéis (reside em Brasília, portanto não conhece os mesmos), fez a reserva num deles. 
À noite, no horário combinado cheguei lá! Ele me elogiou, dizendo que as fotos não me fazem jus, pois sou mais bonita pessoalmente (concordo... risos...). 
Sentei-me com ele, ele me contou que leu uma das matérias a meu respeito e, posteriormente, entrou no meu site e blog, tendo gostado muito do que leu. Resolveu "investir" para ter momentos divertidos nos mais variados aspectos. Um homem autêntico, além de jovem e bonito. Separado, sem filhos e extremamente interessante. Após o primeiro beijo ainda no sofá da suíte, eclodiu um tesão enorme. Ele tirou meu vestido e calcinha, colocou-me sentada, abriu minhas pernas e me chupou muito. Gozei incontáveis vezes na boca dele. Gozei muito! Chamava-o para me beijar e eu sentir meu gosto na boca gostosa dele e ele tornava a me chupar. Eu ainda estava de sandália. 
Fomos para o quarto, ele tirou minha sandália eu o beijava e acarinhava, até que resolvi chupa-lo. Uma delicia! A empolgação dele, o desejo me manteve excitada a ponto de quase gozar com o pau dele na minha garganta! Após um tempo, pedi para ele me comer. Colocou a camisinha e comeu minha boceta de quatro. Gozei mais e depois ele gozou, tirou o preservativo, mas continuamos entre beijos e toques. Ele tornou a me chupar e me fazer gozar, após colocou-me de costas e além de tocar minha boceta lambia meu cuzinho. Depois colocou os dedos nele, me deixando em êxtase. 0
Logo eu quis chupa-lo mais. E mais. E mais! Passado algum tempo conversamos muito! Foi ótimo! Terça não trabalhei, descansei vez que minha tia viajou cedo e eu cheguei tardar das magníficas duas horas de segunda-feira! Ontem à noite fui a um hotel passar uma deliciosa hora com um delicioso novo cliente de fora, cuja narração do encontro dispensou, em que pese tenha sido excelente.  
Hoje possivelmente teríamos um segundo encontro, mas o trabalho dele não permitiu. Passei a tarde "felinando". Agora vou assistir a filmes e fazer nada, haja vista que mais um feriado chega! Beijos de luz! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário