Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 21 de maio de 2017

Domingo com multiorgasmos com um cliente deliciosíssimo!

Boa noite povo!!!! 

Cheguei de um hotel a pouco onde fui encontrar um queridíssimo cliente que esteve aqui semana retrasada! Cheguei ao quarto e ele me esperava com as cortinas abertas da sacada e luzes apagadas! Nos beijamos e foi o suficiente para me excitar! Ele me chupou e me masturbou, colocou-me de costas e enfiou a língua no meu cu várias vezes! Gozei na boca dele várias vezes! 
Chupei-o e, depois de um tempo, peguei uma camisinha para ele me comer! Comigo de costas ele meteu no meu rabinho! Gozei muito, fiz vários squirts e depois ele gozou! Fui ao toalete me lavar e ele nos serviu um vinho! Um delicioso malbec! Conversamos bastante, rimos e após tomarmos nossas taças de vinho recomeçamos! Fizemos um 69 delicioso e depois ele colocou um preservativo e eu cavalguei sobre ele tendo vários orgasmos e molhando-o muito! 
Após um tempo em tal posição ele me empurrou para trás e, deitado em minha frente, comeu minha boceta e depois colocou no meu cuzinho de novo! Gozei jatos e mais jatos, molhando as pernas dele, inclusive! Depois de incontáveis orgasmos ele tirou a camisinha e eu o chupei muito! 
Ele disse que queria gozar no meu cuzinho de novo, então colocou outra camisinha e me comeu de quatro! Gozei muito e por mim estaria até agora gozando... Risos... Findamos cansados e eu fui tomar uma ducha. 
Hoje à tarde, ao descer do carro no Boulevard onde fui me depilar, fechei a porta do carro no dedão da minha mão esquerda. Senti uma dor lancinante e a unha ficou verde (sim, verde!) na hora! Deu para ver, pois meu esmalte é claro. 
Precisei respirar muito para acalmar a dor e conseguir ir me depilar. Assim que parei de gozar e meu corpo esfriou senti uma dor terrível! Fui à farmácia comprar Miosan (remédio que ele me sugeriu), tomei ainda no carro! Cheguei em casa quase chorando de dor. Terrível este acidente tão tolo! Mas, poderia ser pior, tivesse pegado mais para baixo no dedo eu perderia a unha. 
Não consigo dormir pela dor e escrevo do celular, haja vista que não consigo digitar! Espero melhorar logo, mas, ao que vi, sexo é analgésico! Sexo bom, então, é quase amnésico! ... Risos... Boa semana, amados leitores e leitoras! 
Beijos de luz!

2 comentários: