Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Sexta-feira sensacionalmente gostosa e orgástica!

Boa noite gente linda!
Hoje minha sexta-feira, tal qual a passada, foi fabulosa junto ao meu cliente "number five" que há quase 13 meses me acompanha toda semana.
Nos acompanhamos, para ser mais exata.
Apesar de minha dor de garganta ter voltado, pois, segundo minha mãe eu não deveria ter parado com o tratamento ontem, quando a dor findou, eu não quis desmarcar.
Acordei cedo, tomei café, minha mãe medicou-me, dormi um bom tempo e na hora combinada ele chegou. O porteiro do meu prédio já o conhece e nem o anuncia mais, diga-se de passagem!...Risos...
Conversamos um pouco, demos muitas risadas, graças ao Zeus, meu gato quase mudo e "sobrevivente"! Sobreviveu ao meu casamento e a mudanças para 4 Estados em 8 anos! (Marau-Chapecó-Marau-Passo Fundo-Sorriso-Brasília). Se tivermos uma terceira guerra ele sobreviverá. Quem sobreviveu ao que sobrevivi, estando junto a mim, sobrevive à tudo nesta vida!
Como de costume, após um tempo ele foi tomar banho. Saiu do banheiro com meu óleo de baby para massagear-me no momento que, ele sabe, é ideal!
Nos beijamos muito e eu, saudosa, desci chupá-lo. Depois de um tempo colocou a camisinha e eu subi sobre ele. Gozei muito, muito! Após, ele me virou sem tirar de dentro de mim e veio sobre mim. 
Resolveu me chupar... Me tocava e chupava... E eu gozando muito! Virou-me de costas, pegou o óleo e massageou minhas costas, depois minhas pernas, meu bumbum, minha boceta, meu rabinho, enfim, me deixou louca.
Tornou a meter na minha boceta comigo de costas, me fez gozar mais e mais, depois colocou-me de lado e meteu no meu cuzinho! Gozei, gozei e gozei muito!
Comigo de costas continuamos naquele anal fenomenal e, depois de mais uns 7 orgasmos intensos meus, ele gozou! 
Estávamos zonzos!
Depois ficamos conversando, ele tomou uma ducha e mais algum tempo depois foi pra casa!
Eu me alimentei e, em seguida, tomei os remédios para minha gripe de "início de seca". 
Mais tarde minha mãe chegou do segundo dia de um curso que está fazendo na área dela, de artesanatos. Conversamos, jantamos e assistimos a um filme!
Após meu pai ligou. Estou preocupada com ele. Tenho a infeliz mania de querer levar todos que amo nas minhas costas. Acho que é mal de única filha. 
Bem, agora continuarei fazendo o que mais gosto: ler e descansar a beleza!
Beijos de luz e um bom final de semana à todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário