Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sábado, 13 de maio de 2017

Sobre um dia especial: sexta parte 2! Ops, sábado!

Sobre um dia especial: sexta parte 2! Ops, sábado! Meu dia começou com cara de "dia de semana". Fui até um novo cliente hoje cedo num hotel, pois ele desejava conhecer-me. Estava aqui para um congresso. Cheguei ao hotel e me deparei com um homem tal qual a foto revelava: jovem e simpático. 
Me beijou após algumas palavras e eu estranhei o beijo. Pensei até em deixá-lo e nada cobrar, mas o clima foi esquentando, os toques e os beijos ficaram mais gostosos. Após tocar-me, receber um oral e me fazer gozar tocando-me, ele colocou a camisinha que lhe alcancei, colocou o pau na minha boceta e, sobre mim, colocou no meu cu! Fiz vários squirts gozando! 
Ao que me disse nunca experimentou nenhuma mulher que ejaculasse. Mas, embora não soubesse que se tratava de gozo e não de lubrificação vaginal, ficou satisfeito com o que sentiu! Após, tomei uma ducha e segui para meus compromissos junto à minha mãe. 
Eu fui ao salão retocar a raiz de minhas melenas e ao shopping comprar uns perfuminhos, vez que alguns dos meus estavam no fim. Posto a foto abaixo! Sou fã de bons perfumes, sapatos, bolsas e livros! Os últimos são, praticamente, uma paixão: não passo na frente de uma livraria sem sair de lá com um livro. 
Mais tarde, um cliente que há mais de um mês não aparecia conseguiu vir me ver, vez que em breve viaja, novamente, para o exterior. Tal qual nosso primeiro encontro a química chega a incendiar! Após me acarinhar e eu colocar seu delicioso pau inteiro na minha boca e me deliciar engolindo-o, ele colocou o preservativo e eu sentei nele. Gozei muito! Lavei sua barriga gozando enquanto sentava com tudo nele. 
Depois ele me virou e, sobre mim, continuou metendo na minha boceta. Depois, me virou e comeu meu cu! Quanto gozo! Uuuuaaaauuu! Meteu no meu rabo comigo de lado até que gozou. Enquanto ele tomava ar deitado fui tomar uma ducha. Sai do banheiro e ele foi. Veio, deitou-se ao meu lado e conversamos sobre saudade e tempo. 
Após algum tempo eu tornei a beija-lo e acaricia-lo com minhas mãos. Depois desci e o acarinhei com minha boca, língua e garganta! Ele me puxou para junto de seus lábios e nos beijamos! Alcancei-lhe a camisinha e tornei a cavalgar nele! Gozei, gozei, gozei muito! 
Pedi para ele me comer de quatro, mas antes ele meteu em mim da lado e erguendo minhas pernas, de um jeito muito pessoal dele comigo. Após, me colocou de quatro de uma forma igualmente única e comeu minha boceta até gozar!!! 
Eu estava precisando lavar meus cabelos, de tanto que suei. Fui ao meu chuveiro e logo ele veio. Acariciei suas costas e sai me secar. Conversamos mais e depois de um tempo ele foi. 
Ficamos mais de duas horas juntos. Descansei e agora vou assistir filmes e tomar um Spritz! 
Feliz domingo para todas as mamães que me leem! E que nunca ninguém esqueça que todo dia é dia da mulher mais especial em nossas vidas: aquela que nos trouxe ao mundo!
Beijos de luz!

3 comentários:

  1. Você é bonita, tem vontade de um dia se casar? Já se apaixonou por algum cliente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Já fui casada. Se casamento fosse um objetivo neste momento eu teria insistido no magistério superior ou teria ficado com um dos meus ex-namorados. Nunca tomei nenhum fora, só dispensei. Não tenho saco para o comodismo masculino! Já me apaixonei sim, mas paixão é tipo dor de barriga, dá e passa, sobretudo após algumas "cagadas"! Beijos!

      Excluir