Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Multiorgasmos em duas deliciosas horas no dia do orgasmo!

Boa tarde prezados e prezadas leitoras!
Eis que as coisas foram animadas nesta segunda-feira! E não, não me refiro a petições para o RS e nada afim...Risos...
Falo do meu ofício atual!
Depois de meses sem vir à Brasília, um cliente contatou-me e combinamos duas horas num dos melhores hotéis da cidade.
Ele tinha um motivo bem interessante para comemorar, motivo da sua viagem, inclusive (conto tais detalhes, porque ele é solteiro convicto!). Esperava-me com uma espumante aberta, em pleno início da tarde!
Eu que, como levantei-me da fossa pela centésima vez na vida, me senti no direito de acompanhá-lo na animação e comemoração!
Mas, como de costume, com toda "uma" química bombástica, as taças de espumante foram intercaladas com beijos e carícias de forma que, 20 minutos após o brinde, eu já estava totalmente despida. 
Ele, por sua vez, tirou o terno, ostentou o corpo saudavelmente magro e ajoelhou-se para me chupar na beirada da cama. Me chupava, eu gozava e ele me beijava! 
Disse-lhe para deitar-se ao meu lado, coloquei minha boceta na boca dele e consegui chupá-lo até engoli-lo por completo! Ele me chupou e me tocou até eu fazer squirts, logo ele não se aguentou e gozou também! 
Engoli seu gozo doce, rimos um pouco sobre uma crônica da Maitê Proença sobre o "69" que eu acho sensacional! Fui tomar uma ducha e voltamos a bebericar e a conversarmos bastante, sobre tudo um pouco, afinal, no último mês eu li 3 livros e meio! Achei na leitura uma excelente parceira anti-estresse. Ou, pra ser mais sincera, uma boa companheira para noites de insônia!...Risos...
Após algum tempo tornamos a nos beijar, eu fiquei sobre ele, esfregando em sua pele meus mamilos, beijando-lhe o corpo e chupando-o novamente. 
Ele esticou o braço, pegou a camisinha, colocou e veio sobre mim, metendo na minha boceta até eu gozar a ponto de molhar-me toda, assim como a cama. Ele disse que não ia resistir, mas que desta vez queria comer meu cuzinho.
Virei de quatro pra ele, pois meu rabo estava molhado com meu gozo. Delicadamente ele meteu e eu rebolava para senti-lo bem gostoso dentro de mim! Nossa! Como eu gozei, quantas vezes seguidas! Ele, não demorou muito e gozou, pois estava se segurando há um bom tempo! 
Após, tomamos uma ducha juntos eu tomei mais um pouco de espumante e, passado um pouco das duas horas combinadas, vim para casa. 
Cheguei e dormi por horas para descansar a beleza e por estar começando a semana animadamente!
Agora vou tomar mais um relaxante banho! 
Beijos de luz e feliz dia do orgasmo para você que goza, mas não tanto quanto eu!...Risos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário