Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 30 de julho de 2017

Sobre meus últimos dias: de revoluções e decisões.

Bom dia dignas pessoas!

Estranharam minha ausência? Recebi várias mensagens. Muito obrigada pelo carinho que acalenta a alma!
Saibam que jamais lhes deixaria sem um post se não fosse por boas razões.
Este mês foi absurdamente infernal para mim, haja vista a penhora de valores da minha conta-corrente no Banco Santander. Valores estes, destinados ao meu sustento e ao da minha mãe e, claro, a eventual e costumeiro auxílio ao meu papai.
De mais a mais, sempre guardo uma reserva para NUNCA precisar me sujeitar a transar com caras escrotos apenas por dinheiro ou necessidade. Cheguei a empenhar jóias na CEF para isso! Faço tudo, menos perder a dignidade fingindo que estou sendo agradada por sujeito de abordagem tosca, burro ou sem traquejo, ou seja, que não saiba me fazer sorrir, rir e gozar!... Risos...
Desde a narrativa do meu último encontro resolvi peticionar em diversos processos em que eu havia, após pedir licenciamento da OAB, delegado a responsabilidade a uma colega decepcionante. Descobri, mais uma vez pela dor, que quando queremos algo bem feito, devemos fazer por nós mesmos. Do contrário o tal do processo que resultou na penhora on line do início do mês nem existiria! 
Eu já devotei muita fé na raça humana na minha vida, agora ela veio com uma placa de "PARE" gigantesca e colocou na minha frente. Tá, agora eu parei!...Risos...
Enfim, estou aguardando a OAB/RS se posicionar sobre o cancelamento do meu licenciamento. Convenhamos que há uma possibilidade da classe hipócrita não conceder o meu pedido, haja vista minha fama no novo ofício. 
Fama está que se avultou no início deste ano graças a matéria da Folha de SP, Uol e, claro, da imensa repercussão nos jornais/tabloides internacionais sobre a minha história de revolta face ao universo (machista) da advocacia. Na verdade, como quem me conhece e/ou acompanha sabe, este foi apenas um dos motivos que me fizeram mudar de carreira, mas todos são correlatos a dois fatos: 1- sempre gostei mais de sexo do que 99% dos seres humanos e; 2- tive centenas de motivos para me revoltar com a vida e com a sociedade patriarcal. 
Enfim, estou aguardando para ver, enquanto isso encontrei uma nobre e justa colega para assinar minhas petições! Uma querida, muito amiga de minhas tias lá em Passo Fundo/RS.
Esta semana, dentre as incontáveis petições feitas e noites parcamente dormidas, resolvi dar cabo da ideia de minha mãe de voltarmos ao flat da Vila Planalto. Primeiramente, porque o aluguel de cada apartamento me custaria R$ 1.950,00 mensais! Em segundo lugar, o retorno dos funcionários públicos de grande escalão que eu atendia quando residia lá e tem medo de vir ao meu prédio, não é uma certeza que faça valer a pena a venda de móveis, a mudança após um ano de residência e, claro, o sofrimento dos meus gatinhos que estão ambientados aqui. Sou extremamente discreta e onde moro todos me conhecem por Dra. Cláudia. O porteiro é excelente! Ou seja: medo vão de homens tolos vir até a minha residência na Asa Norte, afinal, dar ponto sem nó eu jamais daria! Não a ponto de prejudicar meus clientes queridos, obviamente!
Posso mudar-me, claro, mas para um outro apartamento na Asa Norte, cuja locação compense a minha. Enquanto o Temer afunda o Brasil e nos leva de volta a era da fome, não convém despender dinheiro desnecessariamente com alugueis elevados. 
Ademais, tenho que recuperar-me financeiramente após este infortúnio de cartas marcadas, (porém esquecidas), que me assolou neste mês, para poder investir nos meus livros! E, claro, em estudo, porque nunca é demais! 
Coloquei meus projetos literários antes do Mestrado e do Doutorado. Acho que fazer muitas coisas ao mesmo tempo não é o segredo para a perfeição e, meus clientes sabem muito bem que sou perfeccionista: ou o melhor ou nada. 
Feliz ou infelizmente, este sempre foi meu lema, motivo pelo qual não permito que cheguem perto do meu corpo, sujeitos que cativam minha antipatia, seja pela voz ao telefone, abordagem em ligação ou Whatsapp ou "tosquice" de analfabeto funcional mesmo. Burrice me broxa eternamente e eu não finjo nada, muito menos orgasmo!...Risos...

Demora, mas um dia os homens saberão que nem todas as acompanhantes são iguais e que eu, ao menos, sou empoderada ao extremo e que, apesar deste fato assustar os fracos, ele garante muito prazer aos homens bem resolvidos e inteligentes que me cativam, afinal, nada melhor do que uma mulher que está "ali", entregue ao prazer e a possibilidade de gozar incontáveis vezes com você durante o tempo combinado, né?! Sem mimimi, sem nojinho, sem gemido falso e elogio estapafúrdio! ... Há de ser muito homem para ter uma Cláudia de Marchi na cama hoje em dia, pois só os R$ 650,00 a hora não me cativam!

Bem, aliviada por cientificá-los das revoluções atuais da minha vida (lembrem-se que amanha, 31/07, era para eu estar indo ao Rio de Janeiro em mini-férias), mas foi a primeira coisa que fiz ao ser surpreendida pelas más notícias e estresse deste mês. 
Enfim, já estou firme e forte!
Ah, ainda que eu quisesse ter trabalhado, (tive até que dispensar um adorável cliente sexta): quinta e sexta-feira fiquei sem água no meu bloco! Um vexame total! Estabilizou apenas na sexta-feira à noite! Este racionamento no DF está se tornando chato, apesar de eu reconhecer a necessidade...
Bem, vou comer minha omelete e curtir o meu domingo com livros e gatos!
Beijos de luz gente iluminada e/ou necessitada de luz!


2 comentários:

  1. Estou na torcida pra que este mês acabe logo. Porque pelo visto não ta sendo fácil pra ninguém. É muito contra tempo pra um mês só. Pra vc ter uma ideia até a mão eu quebrei essa semana e não foi socando a cara de algumas pessoas...afff vem logo agosto e que seja menos turbulento. 🙄🙄🙄🙄🙄

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angela, somos duas na torcida!
      Eu proponho um brinde a agosto! Risos...
      Super beijo!

      Excluir