Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

O segundo encontro gostoso da minha quarta-feira orgástica!

Boa tarde meus leitores e minhas leitoras queridos!
Hoje pela manhã fui cedo fazer a minha matrícula no Mestrado da UCB, fazer as unhas e, após, resolvi desligar o celular e dormir a tarde toda para colocar a cútis em dia.
Bem, ontem à noite aconteceu algo inusitado e que prova que, diante de extrema educação e humildade, eu posso voltar atrás nos meus limites.
Sempre disse que após um "oi gata" até o Brad Pitt seria excluído da hipótese de vir a ser meu cliente. Ontem um cara me chamou assim, depois me contatou no Whatsapp, mas eu bloqueei.
Jantei, estava assistindo uma série e recebo uma ligação de um telefone fixo de Brasília. Era o cidadão me indagando sobre o bloqueio, expliquei, ele desculpou-se, veio com aquele tradicional papo de que é uma "forma agradável" de tratar, eu disse-lhe que prefiro meu nome (não tenho mais 14 anos de idade) e, por fim, desbloqueei-o e, alguns minutos após fui ao seu encontro no restaurante do hotel em que estava.
Educado, charmoso, me esperava com um vinho. (Que me deu uma bela dor de barriga, infelizmente, mas era um merlot-malbec não muito ácido, até gostei na hora). Conversamos um pouco, ele não havia acessado o meu site e nem lido as várias entrevistas que dei, mas, ao menos o perfil e o valor no Belas 61 ele viu, logo, ganhou uma estrelinha por saber ler um anúncio corretamente...Risos...
Ele pediu um carpaccio e mais um vinho, enquanto fomos ao quarto. Ele me chupou, eu gozei, depois fizemos um 69. Ele gozou na minha boca deliciosamente.
Logo o room service chegou, eu me arrumei no toalete e voltamos a beber e conversar. Tivemos um lapso de prosa ruim, por eu discordar da ideia de barganha de valores com outra profissional citada, mas logo retomamos o assunto. Ele realmente não sabia nada sobre minha forma de atuar e pensar, mas, eu realmente gostei da atitude persistente do cidadão.
Logo mais fomos à cama e entre chupadas, colocou a camisinha e me comeu de quatro. Meteu no meu rabinho, me fez fazer squirts e molhar a beira da cama e logo gozou. Ele tomou banho, a seguir eu também e logo vim para casa.
Dormi um pouco tarde e com a internet do celular falhando, acordei super cedo e resolvi desligar o telefone para ter um bom descanso nesta tarde chuvosa de quinta-feira! Linda tarde está para ser um felino.
Bem, desejo à todos um belo restante de dia e tantos orgasmos quanto eu tive na quarta-feira que passou! 
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.