Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Reencontrando um delicioso cliente numa tarde surpreendente!

Boa noite lindinhos e lindinhas que me seguem!
Hoje minha tarde foi dedicada para tratamento estético corporal e massagem! Hummm! Uma delícia.
Antes de ir à clínica fui ao Polishop no Conjunto Nacional comprar uma cinta para a coluna, pois viajarei em janeiro e é bom manter a postura em dia, assim como a cinturinha, claro!
Bem, eu e um adorável cliente que residia em Brasília, mas há cerca de um ano mudou-se, havíamos combinado um encontro para amanha pela manhã, vez que eu tinha compromissos estéticos e ele, nesta noite, compromissos profissionais.
Acabamos, porém, mudando de planos: saí da clínica, passei na farmácia comprar preservativos e fui ao hotel, onde ele me esperava muitíssimo bem trajado.
Tomei uma ducha para tirar o óleo da massagem do corpo e, nua, ataquei-o. Nos beijamos num tesão insano e de saudade, eu o chupei inteiro, engolindo-lhe todo. Depois ele me chupou e, antes de comer minha bocetinha, eu chupei ele mais um pouco.
Meteu na minha boceta e eu já gozei, eu estava toda relaxada gozando, ele quase colocou no meu cuzinho sobre mim, com as pernas abertas. Eu pedi para ele gozar na minha boca! Aguentou-se o máximo que pode e encheu minha boquinha de porra.
Após, tomei um pouco de água e conversamos bastante, mas logo eu quis mais uma vez. Beijamos-nos, eu chupei mais ele, das bolas a cabecinha do pau dele, colocando-o todo na boca. Ele colocou a camisinha e eu subi sobre ele. Gozei, molhei mais ainda os lençóis e pedi para ele comer meu rabo de quatro. E ele fez, na beirada da cama atolou meu cu me fazendo fazer squirts de jorrar.
Tirou a camisinha, meteu mais na minha bocetinha, tirou e eu o chupei mais, mas, para gozar, veio sobre mim, e, comigo com a boca aberta ele gozou dentro da minha boca e, com aquele pau gostoso, colocava dentro da minha boquinha as gotas daquela porra doce que escorreram no meu rosto. Foi uma hora de sexo delicioso!
Cheguei em casa e, antes de lanchar, praticamente dormi de relaxada! 
Agora seguirei assistindo uma série que comecei ontem, pois, desde que cheguei em casa, só recebi telefonema de analfabeto funcional. Um me chamou de "gata", depois chamou no Whatsapp e eu não gostei. Outro ligou me convidando para ir ao Meliã encontrar ele. Nem foto no Whatsapp tinha, menos ainda classe e traquejo com uma acompanhante fina. Bem capaz que eu vá sair da delícia da minha casa para ir à hotel encontrar macho que não sabe se comunicar direito e acha que está num hotel capaz de fazer uma mulher hight class sair correndo para "ficar com ele". Ha-Ha-Ha!
Tem homem acostumado com pseudo-acompanhante de luxo, daquelas bem deslumbradas e, como diria minha mãe, "rampeiras". Dispenso com louvor este tipo! Perco dinheiro, mas não a seletividade e dignidade. Isso, jamé!
Já gozei bastante e em boa companhia hoje!
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.