Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Um novo e mega-gostoso cliente nesta linda terça-feira!

Boa noite prezados leitores e prezadas leitoras!
Eis que nesta linda terça-feira recebi um novo, belíssimo e super gostoso 
cliente que acompanha as matérias sobre mim e meu site, há meses!
Mais bonito pessoalmente do que na foto no Whatsapp, chegou conquistando o Zeus que estava na porta fazendo charme, como de costume.
Viemos até meu quarto e logo nos beijamos! Uma química estrondosa, diga-se de passagem! Ele abriu o vestido que eu usava, colocou-me na cama e me chupou até eu gozar muitas vezes!
Depois pediu um 69! Pau grande, largo, engoli-o praticamente inteiro e não tardou para ele gozar. Deitamos, pegamos uma água e ficamos conversando. Muitas ideias e opiniões em comum, nos divertimos muito! Quando conversamos sobre sexo e experiências, ele, mais experiente do que eu, porém mais jovem, deixou escapar que nunca fez sexo anal!
Uau! Que tesão isso me deu! Beijei-lhe na hora e logo ele ficou excitado. Peguei a camisinha maior que estava sobre o frigobar, ao lado da minha cama, e ele colocou. Sentei com minha boceta nele e gozei tanto que meu cuzinho já estava molhadinho. Então sentei com meu rabo nele, "meio" de surpresa! 
Ele foi a loucura! Para conseguir se segurar um pouco mais colocou-me de lado, mas vendo minha bunda e o pau dele entrando no meu cuzinho, não tardou para gozar novamente. Neste momento eu tinha feito squirts incríveis e molhado as minhas e as coxas dele!
Enquanto, extasiado, ele tomava uma água, após tirar o preservativo no banheiro, eu fui tomar uma ducha. Voltei, conversamos mais um pouco e ele começou a me chupar de novo!
Uau, que delícia! Voltamos ao 69, mas dessa vez ele quis gozar na minha cara, vendo a porra adentrar na minha boca e eu engoli-la. Eis que, apenas aí, o gostoso da tarde de quarta-feira se "entregou"!
Pagou exatamente o montante atinente a uma hora e meia, prometeu voltar assim que suas férias terminares e foi para casa!
Eu fiquei feliz e rosada!... Risos...
Nesta época a cidade costuma esvaziar, confesso que com meu grau de seletividade não chego a "estranhar" tanto. Como costumo dizer: a maioria masculina (ou melhor: a maioria humana, independente de gênero) é idiota, logo, muitos homens não são sinônimos de muitos clientes, mas de muita encheção de saco... Risos...
Logo, apesar da época de final de ano, quedo-me realizada com as boas surpresas que tenho!
Beijos de luz e bom restante de semana à todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.