Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Uma experiência inédita e fantástica com um cliente "pra lá" de amável na noite do 3º dia de 2018!

Boa noite gente linda!!!
Hoje fui, pela segunda vez, à casa de um cavalheiro lindo, querido e gostoso com quem me encontro há mais de um ano. Nosso sexo sempre foi bombástico!
Ele veio me buscar, chegando ao apartamento abriu um vinho, me ofereceu uma "crepioca", eu aceitei e ele mesmo fez para nós! Uma delícia! 
Depois de jantarmos, ele deu início a um jogo sensual que eu nunca havia experimentado!
Me vendou, tirou minha sandália e meu vestido e foi me conduzindo até o quarto. Sendo doce e imponente ao mesmo tempo, "amarrou" minhas mãos. Então começou a me acariciar, colocou leite condensado no meu corpo e lambeu, deu-me na boca juntamente com frutas e beijos ardentes. 
Foi me excitando aos poucos até tirar a minha calcinha, usou velas aromáticas e óleos deliciosos, me chupou e me masturbou a ponto de eu gozar muito, muito na boca dele, em seus dedos e, claro, lençóis. 
Após um bom tempo eu pedi para ele me comer, então ele colocou uma camisinha e meteu na minha boceta, sentindo cada gozo meu, sentindo o calor que eu emanava através de squirts e beijos. Desamarrou meus punhos e continuamos. Ele comeu meu cuzinho de frente para mim, erguendo as minhas pernas e sentindo eu gozar, depois, ainda vendada (gostei disso) pedi para ele me comer de costas e sentar sobre mim. Ele o fez. Quanto mais forte metia, mais eu gozava.
Demos uma pausa e eu fui tomar uma ducha, estava toda suada, adocicada e com sede. Tomei água após o banho e voltamos. Ele continuava excitado e, agora, sem venda, tornou a me comer inteira. Colocou a camisinha com a qual sentiu-se melhor, meteu na minha boceta e, entre squirts, arranhões contidos e algumas mordidas, saboreava os meus orgasmos múltiplos e sequenciais, além de gritos "abafados". 
Meteu mais no meu rabinho erguendo minhas pernas, me vendo e sentindo esguichar gozo. Depois de um tempo, pedi para ele tirar a camisinha e deitar-se. Chupei-o, desci chupar suas bolas enquanto ele se masturbava até começar a gozar, então abocanhei-o e engoli aquela porra quase tão gostosa quanto o leite condensado que ele havia me dado na boca.
Foi minha primeira experiência assim, com um homem lindo, inteligente, confiável e adorável. Um homem que me conhece bem e sabe me saborear e deixar-se ser saboreado por mim! Enfim, foi uma experiência fantástica! E, espero que seja a primeira de várias entre nós.
Após ele me trouxe para casa, afinal, eu estava preocupada com meus bebês depois de quase 3 horas longe deles. A partir do dia 09/01 o cat sitter começará a vir ficar e brincar com eles uma hora por dia, mas, até segunda-feira, sinto-me plenamente responsável pela alegria deles. Sinto que estão sentindo saudades da avó (minha mãe), Zeus, o mais velho, está retendo líquidos, quase nem usa a caixinha de areia! 
Os meus 10 dias em SC junto com minhas amadas tias e mamãe serão ótimos, mas prevejo minha preocupação com meus cats!
Bem, agora vou tomar uma água e tentar dormir cedo, afinal tenho manicure amanhã às 8h e limpeza de pele às 13h, além de um estupendo cliente às 16 horas (o lindo que foi minha última transa de 2017 na quinta-feira passada)!
Ou seja, a minha quinta-feira será relativamente agitada, mas, certamente, ficará deliciosa após às 16 horas!
Boa noite à todos!
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.