Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Um reencontro fantástico num lindo final de tarde nublada!

Bom dia caros leitores e lindas leitoras!
Ontem pela manhã fui a dentista fazer uma limpeza e conversar. De 2014 para cá minha arcada dentária inferior que era perfeita entortou. Em janeiro de 2016  extraí os 4 sisos, ainda no MT e antes de mudar de carreira. Já aqui em Brasília um dentista sugeriu uma espécie de aparelho móvel para endireitar a arcada inferior (a única prejudicada, na verdade). Todavia, o cidadão mudou de consultório sem avisar e eu não quis continuar como paciente da clínica.
Todavia, ainda insisto num aparelho móvel, porque uma pessoa que teve dentes perfeitos por 34 anos não vai se habituar com ferros na boca e etc.. Isso sem contar que meu desempenho sexual seria afetado... Risos... Ontem, novamente a dentista falou-me do Invisalign, solução relativamente cara, mas, segundo ela a melhor. Confesso que tenho medo de sofrer. Quem tiver uma solução melhor (um aparelho móvel) me contate, porque estou precisando de ideias... 
Quero a minha arcada dentária inferior perfeita de novo! Era assim em 2006: 
Essa foto acima foi uma tirada num baile de Réveillon da RBS-TV em Marau/RS. Eu estava com o meu, na época, namorado e, atualmente, ex-marido.
A outra, abaixo, foi num casamento de uma colega advogada em 2009, na mesma cidade, e o "recorte" permite perceber melhor o alinhamento dos dentes da arcada inferior:

Bem, assuntos odontológicos (chatos), à parte, vamos falar do que interessa: prazer. Muito prazer!
Há uma semana eu havia combinado com um maravilhoso cliente um reencontro para hoje, quinta-feira, todavia ele conseguiu um tempo ainda ontem à tarde e eu o recebi, logicamente.
A intenção era que nos encontrássemos no meu aniversário, mas não conseguimos. 
No horário que combinamos ele chegou. Alto, forte, charmoso e lindo! Eu estava saudosa. Na porta do apartamento dei-lhe um beijo que já "mexeu" comigo. Viemos, então ao meu quarto. Ele sentiu que eu estava sem calcinha por baixo do vestido e me tocou, depois colocou-me de quatro e me chupou inteira! Quis ir tomar uma ducha, enquanto eu tirei eu vestido e fiquei na cama, totalmente nua lhe esperando.
Ele me beijou e tornou a me chupar e me masturbar. Me fez gozar assim e, após colocar o preservativo, durante todo o tempo que me penetrou me sentiu gozar, fazer squirts e, como de costume em nossos encontros, "inutilizar" os forros de cama... Risos...
Entre muitos orgasmos eu quis chupá-lo para matar a saudade "oral"! Tiramos a camisinha, me diverti chupando-o e vendo o prazer dele, mas, logo colocamos outro preservativo e recomeçamos (confesso que enquanto estava extasiada com aquele delicioso pau na minha boca pensei que qualquer "coisa" estranha "instalada" nela  seria a minha ruína!...Risos...). 
Sentei no pau dele, gozando muito enquanto o sentia inteiro e ele me olhava e acarinhava. Depois ficamos de lado e, ao fim, ele gozou sentado na minha boceta, comigo de costas. 
Foi fantástico o reencontro!
Na sequência fui tomar uma ducha, tomamos água e conversamos bastante. A companhia dele é sempre deliciosa, pois leve, doce, carinhoso e inteligente. Um homem cheio de energia e com uma energia muito boa!
Foi embora após tomar um banho e me deixou feliz e saciada! Fiz um lanche, assisti um pouco de televisão e, antes das 23 horas já estava dormindo. Este clima friozinho que está fazendo aqui em Brasília é uma maravilha! Ontem o dia estava delicioso: céu cinza, paisagem linda! Eu sou uma mulher que acha "50 tons de cinza" interessante só em paisagens! 
Combina com vinho, sexo, cama e música boa!
Por falar nisso, vou deixar-lhes com A-Ha! Uma daquelas canções que me fazem bem!


Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.