Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Duas horas de muitos orgasmos e squirts na noite do (incompleto) debate dos presidenciáveis na Band! (Só sendo multiorgástica para suportar o Brasil...)

Boa noite adoráveis leitores e leitoras do meu país e exterior! (Sim, são muitos e muitas de "fora" da república das bananas!)
Bem, acabei de chegar de duas excelentes horas junto a um delicioso cavalheiro que está "comigo" desde julho de 2016, apenas 3 meses após minha incursão no meu atual "estilo de vida" de acompanhante de luxo.
Comumente bebemos um bom vinho, hoje porém eu não pude beber com ele vez que estou no início dos 30 dias no qual, à noite, estarei fazendo uso de ansiolítico, ele porém, bebeu enquanto conversávamos sobre as últimas "ocorrências" nas nossas vidas e no mundo!...Risos...
Demos muitas risadas, inclusive com os percalços enfrentados, aliás, eu sempre tive essa nada sutil habilidade de rir das desgraças da vida, sobretudo da minha, é claro... Risos... Em que pese, não nego, eu nutra um profundo apreço por piadas de humor negro. 
Por falar nisso, começou há pouco, às 22 horas o debate dos "presidenciáveis" na Bandeirantes. Interessante ver o Bolsolixo ser chamado de racista, machista e homofóbico pelo Boulos e não argumentar nada a respeito disso, apenas mantendo o seu discurso néscio e ilógico de que é um "exemplo" de honestidade mesmo já tendo admitido, em entrevista, que o seu partido lavou dinheiro da JBS para ele. Fez isso antes de abrir mão do seu tempo e atacar o concorrente sem nenhum argumento fático, apenas "palavras ao vento", como de costume (bem, ele poderia ter desmaiado, mas não o fez...Risos...). Aquele homem é uma piada de péssimo gosto que sequer esconde do mundo que é, de fato, machista, racista e homofóbico! ... Risos... 
Bem, meu encontro foi, como de costume, formidável! Após interrompermos nossa conversa com beijos devassos, ele abriu minha saia, tirou-a lentamente e, colocou-me deitada na cama. Sem tirar minha calcinha, arredou-a e me chupou por muito, muito tempo, saboreando cada pedacinho da minha boceta e cuzinho. 
Fiquei de joelhos para desabotoar a minha camisa e fiquei só de sutiã, pois, em tal momento ele já havia tirado a minha calcinha. Estava só de cueca então, de pé e eu de joelhos, chupei-o até engoli-lo inteiro e sentir ele pulsar de tesão dentro da minha boca e garganta.
Acabamos fazendo um 69, pois ele queria me sentir gozar mais em sua boca. Ele me chupava e me masturbava de forma que, não tardou, acabou gozando na minha boquinha. Deitamos lado a lado, ele tomou um pouco mais de vinho e eu uma água, conversamos por longos minutos até que fiquei sobre ele e comecei a beijá-lo. O pau dele na hora ficou duro. Desci e chupei-o mais. Então ele pegou a camisinha que estava ao lado, colocou e eu sentei nele. Sentei, gozei e fiz squirts. Ele se realizava sentindo o pau dele inteiro dentro de mim e eu me derretendo de prazer.
Fodemos assim até que eu sentei, ainda sobre ele, com meu cuzinho naquele pau delicioso. Gozei mais, muito mais, então mudamos de posição, ele veio sobre mim e continuou metendo no meu rabinho e beijando a minha boca. É alto, magro e bem dotado, logo essa posição fica perfeita! Sentia eu ejacular e molhá-lo de forma que, sem demora, gozou novamente.
Desta vez estávamos suados! Fui tomar uma ducha enquanto ele ficou na cama, sorrindo e realizado. Após, ele foi tomar banho, conversamos mais um pouco e, logo, chamei o Uber para voltar para casa. Ele, como de costume, já havia colocado o valor atinente às nossas duas deliciosas horas na minha bolsa (eu deixo-a "estrategicamente" semi-aberta). 
Bem, vou assistir um pouco mais do debate notoriamente incompleto que a Bandeirantes transmite neste momento.
Tenham todos uma linda noite e um belo final de semana, afinal, sexta-feira é amanhã!
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.